Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Scar Symmetry – “The Unseen Empire”


Os novos queridinhos do MeloDeath sueco, o Scar Symmetry despontou como uma das maiores promessas do Heavy Metal mundial quando o seu segundo álbum “Pitch Black Progress” foi um frisson entre os amantes do estilo, principalmente pelo mega clássico “The Illusionist” e a assombrosa versatilidade vocal de Christian Alvestam, considerado por muitos um dos melhores vocalistas da safra atual.

Pois bem, o tempo passou, lançaram o aclamadíssimo “Holographic Universe”, em 2008 (uma viagem Death Metal pela Física Quântica), Christian Alvestam deu xiliques e saiu da banda, contrataram dois vocalistas para substituí-lo (Roberth Karlsson e Lars Palmqvist) e lançaram “Dark Matter Dimensions” no ano seguinte, que teve uma recepção um tanto controversa por parte dos fãs e críticas, principalmente as viuvinhas de Alvestam, que achavam inadmissível essa substituição.

Em 2011, então, é anunciado o lançamento do novo álbum: “The Unseen Empire”, dessa vez um pouco menos científico e mais conspiratório, falando sobre um grupo de elite que controla todos os acontecimentos do mundo, invisivelmente aos nossos olhos. Lançado pela nuclear Blast em 15 de abril, para muitos foi a volta da banda aos eixos.

A melódica e nos mesmos moldes das músicas de abertura anteriores “The Anomaly” já é o suficiente para abrir um sorrisão na cara até dos mais ortodoxos, com os vocais cavernosos de Karlsson e as perfeitamente encaixadas interposições dos vocais limpos de Palmqvist, e um refrão com uma carga de honra como pouco se vê hoje em dia. Pois é… agora sim eles sacaram como usar dois vocalistas na banda. Em seguida, “Illuminoid Dream Sequence” foi uma das primeiras músicas do álbum a serem liberadas, e como nos trabalhos anteriores, muitos dizem que ela não deveria ser a segunda no tracklist do disco, vai entender. Em todo caso, é uma ótima música, mais melódica e com uma veia progressiva fortíssima, nos mesmos moldes de “Extinction Mantra”, com a sua melodia mais oriental e uma dose de peso extra. Porém, “Seers Of Eschaton” traz um Death metal mais brutal e agressivo, clássico e sem tempo para respirar, ótima para quebrar alguns pescoços por aí, com destaque especial para a sempre perfeita dupla de guitarras e de vocais, que mesclam o gutural e o rasgado de forma magistral, enquanto “Domination Agenda” pode ser considerada a mais balada do álbum, com riffs quase Hard Rock (no seu nível, claro) e um dos refrões mais pegajosos EVER da banda.

E a pegada mais cósmica volta em “Astronomicon”, com aquela melodia bem artificial e mecânica (não que seja ruim), inclusive na timbragem dos instrumentos, ao contrário da belíssima “Rise Of The Reptilian Regime”, onde toda a veia Prog da banda é escarrada na cara do ouvinte e a mescla vocal novamente é um destaque a parte, sendo provavelmente algo indispensável nos shows. A veia mais clássica e soft continua em “The Draconian Arrival” e o seu refrão extremamente melódico que insiste em se agarrar a sua memória, principalmente pela ótima letra (o gutural nessa música é de deixar muito nego metido a evil por aí assustado). O disco fecha com a pesadíssima “Alpha And Omega”, onde quem novamente é o personagem principal é o duelo de vocais, em uma música épica, cheia de variações e um final apocalíptico.

Vale lembrar que toda a arte do encarte segue o conceito e é muitíssimo bem feito, daqueles que você passa horas caçando eastereggs nas páginas. Mas fora isso, esse álbum coloca de vez o Scar Symmetry no panteão do Heavy Metal mundial, provando na prática que a fórmula com dois vocais começa a funcionar muito melhor com o passar do tempo. Às viuvinhas de Christian Alvestam, só posso dizer que vocês estão perdendo um dos maiores álbuns de MeloDeath de todos os tempos.

01. The Anomaly
02. Illuminoid Dream Sequence
03. Extinction Mantra
04. Seers Of Eschaton
05. Domination Agenda
06. Astronomicon
07. Rise Of The Reptilian Regime
08. The Draconian Arrival
09. Alpha And Omega

Nota 10

The Unseen Empire Scar Symmetry

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Uma resposta para “Scar Symmetry – “The Unseen Empire””

  1. RENAN disse:

    Excelente banda. Realmente souberam usar esses dois vocalistas. Pena que muita gente por aqui não conheça bandas como essa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *