Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Uncle Acid & The Deadbeats – “Blood Lust”


É muito complicado falar sobre uma banda que não tem site oficial, o MySpace sequer tem uma biografia e é simplesmente achar uma foto de seus membros. O Uncle Acid & The Deadbeats está envolto em tanta obscuridade e mistério quanto o Ghost antes de cair nas graças do “mainstream Heavy metal”, mas de um jeito muito mais agressivo, aparentemente.

Com dois pés na psicodelia dos anos 60 e no peso das raízes do metal setentista, o trio britânico de Cambridge volta um ano após o lançamento do sinistro “Vol.1” (que é impossível de achar tanto em MP3, quanto vinil) com “Blood Lust”, lançado de forma completamente independente (e novamente, nem tão fácil de achar).

Suja, exageradamente distorcida, abafada, letárgica. Essas são boas características para definir “I’ll Cut You Down”, um Stoner Rock bem retão, simples, mas que trazem uma sensação incrivelmente agradável, como se imediatamente você estivesse voltado aos anos 70 (tendo vivido nesta época ou não, não importa) no porão esfumaçado da sua típica casa de subúrbio, cercado de birita (e outras coisas mais profundas) e discos de vinil. É tarde da noite e o único som nas redondezas é o Uncle Acid & The Deadbeats que sai dos altos falantes. Sim, é esse nível de imersão a atingir, que aumenta ainda mais quando os riffs arrastados e incríveis de “Death’s Door” começam. E com a voz simplesmente hipnótica de Uncle Acid, é impossível não encostar, fechar os olhos e viajar involuntariamente durante os sete minutos que passam tão rápido que você só percebe que a música infelizmente acabou quando “Over And Over Again” vem com sua levada bem Sabbath fase “Sabbath Bloody Sabbath” a “Never Say Die”.

Em seguida, transitando entre o mais sombrio Doom arrastadíssimo ao Stoner mid-tempo, “Curse In The Trees” é mais uma ótima faixa, resumindo em alguns minutos toda a proposta da banda, enquanto “I’m Here To Kill You” flerta um pouco com o Hard Rock, abusando de tempos esquisitos que fogem um pouco do padrão do álbum e por si só já é bem interessante (a guitarra solando por cima da melodia do órgão é incrível). Dá-lhe mais Black Sabbath com “13 Candles”, recheada daqueles riffs com a cara do Mestre Tony Iommi e aquela batida pulsante, precisa e pesada que só a cozinha de Ward e Geezer conseguiam fazer (ok, John Paul Jones e John Bonham também o faziam com maestria). E sim, é realmente comparável ao som do Sabbath no começo da carreira, o que de forma alguma é demérito, pois a criatividade da banda está naturalmente inserida, como podemos ver em “Ritual Knife”, música mais cadenciada e um daqueles solos improvisados espetaculares, que focam no feeling do momento e não exatamente em seguir escalas ou teoria musical. E se não fosse o impressionante o bastante, o disco ainda guarda “Withered Hand Of Evil”, que além do título genial, tem o instrumental mais inspirado e carregado do trabalho, arrastado, cheio de nuances, aquela batida que mesmo que aparentemente tocada em loop infinito, serve como o pano de fundo perfeito para toda a hipnose que tanto os vocais como as melodias de guitarra e órgão conseguem trazer. O disco ainda traz uma faixa bônus escondida, com uma surpreendente produção bem mais polida, é uma belíssima balada acústica, tocada apenas no violão (e uma eventual percussão ao fundo), fazendo cair o queixo do ouvinte até o último segundo.

A sensação de ouvir “Blood Lust” é única. Podemos dizer que é algo jamais feito desde a década de 60, mas isso seria limitar o conteúdo: O Uncle Acid & The Deadbeats não só lançou um álbum com o agradável cheiro de mofo de algo que ficou perdido nas fitas de gravação de 50 anos atrás, como lançou um disco sem falhas, chocante, equilibrado, viajante, que o torna não apenas um dos grandes álbuns de 2011 como faz dele uma obra musical simplesmente atemporal.

01. I’ll Cut You Down
02. Death’s Door
03. Over And Over Again
04. Curse In The Trees
05. I’m Here To Kill
06. 13 Candles
07. Ritual Knife
08. Withered Hand Of Evil
09. Bonus Track

Lineup:

Uncle Acid – Vocal / Guitarra / Órgão
Kat – Baixo
Red – Bateria

Nota 10

Uncle Acid

Blood Lust Uncle Acid & The Deadbeats

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Uma resposta para “Uncle Acid & The Deadbeats – “Blood Lust””

  1. CaikdeOliveira disse:

    Esse é um dos melhores discos que ouvi em 2012 (Descobri só em 2012).
     
    E digo que é melhor que muito disco de banda famosa atual. Mas ao poucos a banda está ganhando reconhecimento, e torço para que ela alcance o mais alto patamar na carreira, incluindo dinheiro e mulheres.
     
    E em alguns meses sai o novo álbum da banda, esse é o que mais espero, até mais que o do Black Sabbath.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *