Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Turisas – “Stand Up And Fight!”


O Turisas surgiu em 1997 na Finlândia e conseguiu relativa atenção no meio Metal ao unir ao estilo vários elementos de música medieval, coros de batalha e instrumentos não convencionais, como acordeom e violino. Com o seu álbum debut, “Battle Metal” eles praticamente fundaram um novo gênero de outro subgênero, do qual podemos dizer que só eles fazem parte.

Depois de lançar mais um álbum (o bom “The Varangian Way”), excursionar e tocar ao vivo nos maiores festivais do mundo (sempre caracterizados), perder um membro da banda misteriosamente na Holanda, a banda volta com o seu 3º release de estúdio, “Stand Up And Fight”, dando continuidade aos temas do álbum anterior e incorporando elementos que segundo a própria banda, vão do Progressivo ao Stadium Rock.

E tudo começa da forma mais épica possível com “The March Of The Varangian Guard”, com o verso cadenciado e o refrão de guerra em coro (bem Blind Guardian, mas muito mais épico) pra deixar Joey DiMaio com vergonha e sentado no canto choramingando. “Take The Day!” em seguida mostra o approach mais orquestral que a banda está investindo, quase trilha sonora de filme medieval. Possivelmente esse lado mais melódico, principalmente nos versos atrapalhe pra quem espera porradaria épica e discursos de batalhas de forma desenfreada. Afinal de contas, essa música é quase imprevisível, flertando com Power, Hard Rock e Viking Metal em apenas alguns minutos, enquanto “Hunting Pirates” lembra muito uma versão Folk do Running Wild (como muitas bandas tem feito ultimamente, tipo o Alestorm), mas não convence completamente, no fim das contas. Talvez vocês encontrem alguma semelhança entre Venetoi – Prasinoi e a trilha sonora de Star Wars (e eu nunca assisti os filmes), pois realmente parece bem chupado de filmes dessa época, enquanto “Stand Up And Fight” retoma o lado épico/tribal do Turisas e entrega a melhor música do álbum e uma das melhores do caras. Não adianta nem tentar explicar, basta acompanhar o desenrolar da música e o seu refrão que é um absurdo de tanto sentimento épico.

E mais sopros de Hard Rock assombram a cadenciada “The Great Escape”, que também se assemelha um pouco ao som do In Extremo, mas mais bárbaro e menos romântico, como “Fear The Fear”, que basicamente é um Power Metal dos mais esquisitos e uma letra bem cretina e bem humorada, tipicamente Turisas. Indo em uma linha contrária vem “End Of An Empire”, uma música com uma veia operística muitíssimo bem construída e belíssima no trabalho vocal, saindo completamente do óbvio do disco. De longe uma das melhores músicas do álbum junto com a faixa título, onde o épico consegue ser levado a um outro nível. A parte regular do álbum termina com “The Bosphorous Freezes Over”, novamente trazendo MUITO de trilha sonora hollywoodiana, com a orquestra fazendo a base, uma voz sinistra narrando e um coro de batalha (ou não, parece mais uma canção de estrada) possivelmente em finlandês ou algum dialeto nórdico antigo, encerrando com o mesmo sentimento que começou: épico!

Como bônus, ainda tem duas covers no álbum: uma de “Broadsword”, do Jethro Tull e outra de “Supernaut”, do Black Sabbath. Apesar de ser perigoso mexer com clássicos como esse, temos de admitir que as duas versões ficaram diferentes e ao mesmo tempo muitíssimo bem feitas. A do Jethro ficou bem atmosférica enquanto a do Sabbath parece estar sendo tocado no ápice da noite em uma taverna. Encerrando de vez o disco perfeitamente!

Apesar dos esforços, no balanço geral “Stand Up Fight” é um álbum meio inconsistente, com altos e baixos. É um prato cheio para quem já é fã da banda e gosta desse lado mais épico sobrepondo o Heavy metal. Por outro lado, para alguém que não conhece e vai ouvir, apenas alguns pedaços do álbum podem chamar a atenção de verdade.

Para quem gosta/gostou, só resta pegar o pote de tinta, algumas peles falsas, um machado/espada/escudo/lança de plástico e sair por aí gritando os coros de batalha, porque isso é o que eles mais sabem fazer. E bem ainda.

01. The March Of The Varangian Guard
02. Take The Day!
03. Hunting Pirates
04. Venetoi – Prasinoi
05. Stand Up And Fight!
06. The Great Escape
07. Fear The Fear
08. End Of An Empire
09. The Bosphorous Freezes Over
10. Broadsword (Jethro Tull Cover)
11. Supernaut (Black Sabbath Cover)

Line-up

Tude Lehtonen – Bateria
Jussi Wickström – Guitarra
Warlord Nygård – Voca / Teclado
Hannu Horma – Baixo
Olli Vänskä – Violino
Netta Skog – Acordeom

Nota 7

Turisas

Stand Up And Fight! Turisas

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *