Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

SuperHeavy – “SuperHeavy”


Surgido das idéias de Dave Stewart (do Eurythmics) e Mick Jagger, e os gostos em comum que os dois tinham pelo Reggae e pela música indiana, o SuperHeavy foi tomando forma com a inclusão de A. R. Rahman e Damian Marley ao line-up, além da ótima vocalista Joss Stone.

O conteúdo deste debut foi tomando forma enquanto a banda fazia incessantes jams desde 2009, até atingirem o objetivo, que segundo eles, era explorar os mais variados conceitos musicais, do Reggae ao Pop indiano. Não à toa, é exatamente isso que ouvimos aqui.

A música que dá nome a banda inicia o álbum, uma mistura muito maluca entre Reggae, música indiana, um toque sutil de Rock e os vocais sempre ótimos de Joss Stone. A música só peca um pouco no seu tamanho, maior do que deveria, tornando-se um pouco cansativa depois dos 4 minutos. “Unbelievable”, por outro lado, traz uma levada que se confunde entre ritmos latinos e orientais em meio a efeitos eletrônicos, mas com um resultado agradável, assim como o single “Miracle Worker”, com os vocais divididos entre Damian Marley e Joss Stone em um ótimo Reggae, simples, mas divertido. Agora, é com “Energy” que as coisas parecem ficar esquisitas. Basicamente uma música eletrônica (cuja seqüencia de notas lembra incomodamente o que toca nas baladas por aí – ou seja, um apelo para virar remix muito forte) com toques indianos aqui e acolá, sem contar a humilhação que é o vocal de Stone em comparação ao de Jagger. “Satyameva Jayate”, em seguida, parece estranhamente uma versão indiana do Carrapicho (sim, o do “bate-forte-o-tambor”) e pode entortar um pouco o nariz de quem está ouvindo, o que também pode acontecer em “One Day One Night”, onde, desculpe dizer, mas eu tive vergonha alheia de Mick Jagger e o fato de ele não conseguir sustentar o tom na hora de cantar uma nota curta. Tá certo que como vocalista ele sempre foi um bom dançarino, mas, há limites, certo? Não! Errado! Porque ele insiste em “Never Gonna Change”, uma bela música completamente estragada pelos vocais dele.

As influências Reggae voltam com “Beautiful People”, um bom momento do disco, que seria bem melhor se fosse inteira cantada por Joss Stone, já que as melodias criadas são muito legais, enquanto “Rock Me Gently” traz uma balada Rock tipicamente anos 80, daquelas que imediatamente você se imagina em uma rua cheia de letreiros, neon, pessoas de jaqueta de couro e mullets, sendo uma das melhores músicas do álbum. E continuando com as influências Rockers, “I Can’t Take It No More” lembra incomodamente “Roundhouse Blues”, do The Doors, e a voz de Jaggers já soa um pouco melhor e mais bem encaixada em meio a guitarras e trompetes. A balada “I Don’t Mind” tem uma condução mais eletrônica bem bonita também, com uma ótima letra e melodias vocais novamente bem encaixados, assim como em “World Keeps Turning”, que encerra a versão regular do disco com Joss Stone livre e solta, cantando inacreditavelmente sobre uma melodia simples.

A versão deluxe do álbum vem com quatro músicas bônus, sendo a primeira “Mahiya”, uma música tipicamente indiana, curta e sem nada de muito atrativo ou a acrescentar, enquanto que “Warring People” tem um riff que lembra um pouco aquelas músicas pop da Índia onde pessoas vestidas de roupas coloridas fazem coreografias bizarras ou o final de “Slumdog Millionaire”. “Common Ground”, por outro lado, tem um ritmo bem específico e é uma música bem divertida e poderia ter entrado facilmente no tracklist regular do disco, ao contrário de “Hey Captain”, que, bem, não é compreensível nem porque entrou como bônus.

A estréia do Superheavy é um tanto quanto inconsistente. O disco tem vários altos e vários baixos, com apenas alguns temas memoráveis. A idéia de trazer um pouco da sonoridade mais voltada para o Reggae e da música popular oriental é uma boa sacada, já que é algo relativamente inédito para o público americano e europeu atual, e mais ainda para o público rocker. No geral, é um disco que não passa de bom, e você tem que estar no clima certo para ouvi-lo. E de um line-up como esse, esperava-se muito mais.

01. SuperHeavy
02. Unbelievable
03. Miracle Worker
04. Energy
05. Satyameva Jayathe
06. One Day One Night
07. Never Gonna Change
08. Beautiful People
09. Rock Me Gently
10. I Can’t Take It No More
11. I Don’t Mind
12. World Keeps Turning
13. Mahiya
14. Warring People
15. Common Ground
16. Hey Captain

Line-up

Mick Jagger – Vocal
A. R. Rahman – Vocal / Multi-instrumentos (como informado)
Joss Stone – Vocal
Damian Marley – Vocal
Dave Stewart – Guitarra
Ann Marie Calhoun – Violino
Shiah Coore – Baixo
Courtney Diedrick – Bateria

Nota 6

SuperHeavy

SuperHeavy SuperHeavy

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *