Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Skeletonwitch – “Forever Abomination”


Essa onda de bandas resgatando o Thrash Metal oitentista depois de 2005 foi um “movimento” bem interessante e que trouxe vários bons nomes para os highlights do Metal mundial. Em meio a essa leva, podemos dizer que os americanos de Ohio, Skeletonwitch acabou conseguindo uma carona e no fim, acabou saindo por cima de várias outras.

Com o intuito de misturar o Thrash oitentista com uma pegada mais Black Metal (daqueles crus e épicos), os três álbuns do currículo dos caras – “At One With Shadows” (2004), “Beyond The Permafrost” (2007) e “Breathing The Fire” (2009) – já deram uma passagem para excursionar com o Danzig e tocar no Ozzfest.

Em 2011, eles retornam com o quarto play, “Forever Abomination”, lançado pela Prosthetic Records, traz a banda inspiradíssima e mais alguns novos hinos de guerra thrash nesses 30 minutos de álbum.

Não se iluda com a bonitinha batidinha de violão no começo de “This Horrifying Force (The Desire To Kill)”. A maior música do álbum (com 4 minutos de duração) é um Black/Thrash puro, com aqueles riffs perfeitos para serem urrados por cima, que soam épicos e oitentistas ao mesmo tempo. Interessante notar que eles não caem no pecado de abusar dos blastbeats ou de timbres de baterias muito secos, algo feito a exaustão entre as bandas de música extrema hoje em dia, e essa variação tanto dos ritmos quanto dos riffs são importantíssimos para “Reduced To The Failure Of Prayer” (com seus leves sopros de Heavy Tradicional) e a Megadethiana “Of Ash And Torment” (evidentemente com um certo requinte a mais – o que é esse refrão semi-Viking Metal?). E dá-lhe mais Metal de guerra com “Choke Upon Betrayal”, que começa completamente Black Metal e dá uma guinada forte na sua metade para riffs Thrashys bem nostálgicos (e estamos falando de uma música de 2 minutos), enquanto “Erased And Forgotten” é uma divertidíssima pedrada, que não deixa o mínimo espaço para respirar, principalmente porque “The Infernal Ressurection”, que pode ser considerada a faixa-título do álbum, é facilmente um dos maiores destaques aqui.

“Rejoice In Misery”, em seguida, traz um Skeletonwitch bebendo em fontes antecessoras ao próprio Thrash, já que essas levadas Punk/Hardcore marcam forte presença, até o clima épico dar as caras de novo. E essa transição surpreendentemente natural também ocorre na fantástica “Cleaver Of Souls”, com uma progressão de riffs e andamentos de cair o queixo. “Shredding Sacred Flesh” (que título!), por outro lado, mantém os pés firmes no lado mais Black Metal, da forma mais crua possível, assim como “Sink Beneath Insanity”. Aliás, as coisas vão ficando mais extremas com o final do disco chegando, vide “My Skin Of Deceit”, que passa rápida, te dá um tapa na cara e um chute no estômago e vai embora antes de você sequer se dar conta. O que sobra é apenas uma incômoda dor no pescoço e um sorrisão na cara.

O Skeletonwitch é uma ótima surpresa dos últimos anos, principalmente em meio as várias bandas que resgatam o Thrash oitentista e que ultimamente tem soado um tanto quanto forçadas/cansadas e até repetitivas em alguns casos. Mas para esses americanos, a coisa vai além: a mistura com o Black Metal gerou ótimos resultados, e a maioria praticamente inconcebível a primeiro instante, mas que ao ser colocada em prática, torna-se impressionantemente natural.

Enquanto muitas bandas caem na mesmice e outras acabam falhando ao tentar agregar elementos novos ao seu som, o Skeletonwitch já conseguiu desenvolver a sua fórmula própria “apenas” juntando duas coisas. E o balanço final disso é um dos grandes álbuns de música extrema de 2011.

01. This Horryfing Force (The Desire To Kill)
02. Reduced To The Failure Of Prayer
03. Of Ash And Torment
04. Choke Upon Betrayal
05. Erased And Forgotten
06. The Infernal Resurrection
07. Rejoice In Misery
08. Cleaver Of Souls
09. Shredding Sacred Flesh
10. Sink Beneath Sanity
11. My Skin Of Deceit

Line-up:

Chance Garnette – Vocal
Scott Hedrick – Guitarra
Nate Garnette – Guitarra
Evan Linger – Baixo
Dustin Boltjes – Bateria

Nota 9

Skeletonwitch

Forever Abomination Skeletonwitch

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *