Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Mustasch – “Sounds Like Hell, Looks Like Heaven”


O Mustasch foi formado na Suécia em um distante 1998 por quatro amigos, com a simples proposta de tocar o Heavy Metal, da forma mais despretensiosa possível. Bom, aproveitando a onda das novas bandas surgindo nos Estados Unidos na mesma época, o som vigoroso, moderno e pesado dos caras, com boas doses de Stoner, eles chamaram bastante atenção no começo dos anos 2000 e são bem reconhecidos principalmente no seu país natal.

Seis álbuns de estúdio depois, e com um lineup completamente renovado (sobrou apenas o agora chefe Ralf Gyllenhammar), os suecos chegam à “Sounds Like Hell, Looks Like Heaven”, que já foi certificado como álbum de ouro logo na primeira semana de lançamento.

A completamente Metal “Speed Metal” (com um nome desses, vocês esperavam o que?) é um tapa na cara dos mais desavisados, com riffs rápidos, diretos e sem frescura, ótimos para abrir qualquer show ao vivo. “The Challenger” retoma as influências Stoner que o Mustasch sempre teve: guitarras sujas, aquela batida reta e pulsante da cozinha e os berros ensandecidos de Ralf Gyllenhammar, algo que fica fácil entre os seus conterrâneos do Hellfueled e os dinamarqueses do Volbeat. Esses elementos continuam na impressionante “It’s Never Too Late”, cadenciada e com boas mudanças de andamento, o Mustasch se arrisca em sair um pouco da curva e faz um ótimo trabalho, assim como nos Hard Rocks de “Cold Heart Mother Son” e “Morning Star”, mais simples e um cheiro de anos setenta muito agradável.

“Dead Again”, como o próprio nome denuncia, é totalmente Sabbathica, arrastada, mórbida, lembrando bastante as bandas que estão revivendo o Stoner com tudo nos últimos anos (como vocês sabem, várias delas também são suecas), enquanto “Your Father Must Be Proud Of You” é uma faixa mais “radio-friendly”, por assim dizer, com riffs simples, melodias mais limpas e ótima para ser lançada como single e atingir um público mais fora do Heavy Metal. “Destroyed By Destruction” injeta doses generosas de peso e distorção, com toques quase Hardcore em algumas partes que levam à “I Don’t Hate You” e o encerramento do disco com “Northern Star” que é só uma pequena passagem instrumental, com barulhos de carro, britadeira e uma mulher falando em sueco (as bandas andam com essa mania sem sentido de poslúdios agora).

É sujo, é pesado, é cheio de berros, tem letras sacanas e politicamente incorretas. Basicamente é um álbum de Rock n’ Roll dá ponta do fio de cabelo até a parte mais interna do osso, aonde o Mustasch, agora completamente renovado no lineup e na “política interna”, faz um trabalho muito bom. A cuidadosa produção deu um toque interessante no som deles, principalmente quando as influências setentistas vêm a tona, reforçando ainda mais a identidade musical construída ao longo de todos esses anos.

Aliás, mais um ótimo álbum para rolar em uma festa regada a muito uísque.

01. Speed Metal
02. The Challenger
03. It’s Never Too Late
04. Cold Heart Mother Son
05. Morning Star
06. Dead Again
07. Your Father Must Be Proud Of You
08. Destroyed By Destruction
09. I Don’t Hate You
10. Northern Star

Lineup:

Ralf Gyllenhammar – Vocal / Guitarra
David Johannesson – Guitarra
Stam Johansson – Baixo
Danne McKenzie – Bateria

Nota 8

Mustasch

Sounds Like Hell, Looks Like Heaven Mustasch

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *