Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Biohazard – “Reborn In Defiance”


Uma das primeiras bandas (e a maior) a fundir Punk, Hip Hop, Hardcore e Heavy Metal, o Biohazard despontou com grande sucesso lá no começo da década de 90, influenciando grupos das mais variadas vertentes até hoje.

Porém, com o hiato que a banda esteve entre 2005 e 2008, pouco se sabia sobre uma nova turnê ou álbum (apesar das constantes aparições públicas dos membros em eventos), até que em 2010 eles resolvem entrar em estúdio com o produtor Toby Wright para gravar este que é o nono disco da banda (e cujo título não poderia ser melhor, ahn?)

Com a introdução “9:III6.941” (apenas alguns barulhos pra criar o clima), a banda traz “Vengeance Is Mine”, a perfeita mistura entre Hardcore e Heavy Metal: pesado, rápido, berrado, nostálgico ao seu modo. “Decay” vem em seguida, mais cadenciada, e com linhas vocais prontíssimas a serem cantadas pelo público nas apresentações ao vivo, deixando a pancadaria para “Reborn”, no melhor estilo “sem nenhum segundo para respirar”. Mas é interessante notar como os vocais estão um pouco mais melódicos, variadas e trabalhando em conjunto com o instrumental de forma espetacular (tanto nas partes mais pesadas quanto nos breaks). Falando em melodia, “Killing Me” tem uma simplicidade quase AC/DC (considerando as diferenças abissais entre as bandas) das mais efetivas, além das grandes linhas de guitarra no final, enquanto “Countdown Doom” é aquele Hardcore com generosas doses de Hip Hop que levaram o Biohazard ao reconhecimento mundial, e “Come Alive” é no mínimo, perfeita para abrir rodas e deslocar alguns ossos do pescoço.

Dá-lhe mais Hip hop com “Vows Of Redemption”, música que transporta facilmente para a explosão da mistura do estilo com Metal no final da década de 90 e início dos anos 2000. O mesmo ocorre com o groove de “Waste Away”, mais uma série candidata a figurar no setlist ao vivo. “You Were Wrong” é uma grata surpresa, praticamente uma balada muitíssimo bem construída que dá passagem a “Skullcrusher” e “Never Give In”, resgatando mais um pouco da “inocência” musical de quase 15 anos atrás. O disco fecha com a instrumental totalmente inesperada “Season the Sky”: climática, atmosférica, reflexiva, como se fosse o final de um filme, encaixando perfeitamente se relacionarmos com a saída de Evan Seinfeld e o fim desse capítulo na história da banda.

“Reborn In Defiance” é um disco surpreendente, com uma nostalgia que transborda das caixas de som, afinal de contas, parece algo produzido lá no final dos anos 90 (sim, eu já falei isso várias vezes no review, é algo que vocês devem saber!), que não soa datado de maneira nenhuma. As músicas são bem construídas, variadas e com uma riqueza de detalhes muito além da simples mistura de Heavy Metal e Hardcore com Hip Hop. A súbita saída de Evan Seinfeld, um dos frontmans com maior presença no estilo parece não ter abalado tanto as estruturas da banda, então fiquemos no aguardo se teremos novos capítulos na história do Biohazard ou não. Considerando a qualidade deste retorno, seria interessante ver o que vem por aí.

01. 9:IIIX6.941
02. Vengeance Is Mine
03. Decay
04. Reborn
05. Killing Me
06. Countdown Doom
07. Come Alive
08. Vows Of Redemption
09. Waste Away
10. You Were Wrong
11. Skullcrusher
12. Never Give In
13. Season The Sky

Lineup:

Evan Seinfeld – Vocal / Baixo
Bobby Hambel – Guitarra
Billy Graziadei – Vocal / Guitarra
Danny Schuler – Bateria

Nota 10

Obs.: Por que temos várias capas desse álbum? Duas na realidade…

Biohazard

Reborn In Defiance Biohazard

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *