Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Rhapsody (Of Fire) – “From Chaos To Eternity”


Goste ou não do estilo que o Rhapsody faz, não se pode deixar de admitir que eles conseguiram criar e desenvolver um estilo próprio, adiando por alguns anos a mesmice que o Power Metal estava caindo na metade final da década de 90, inserindo passagens épicas, orquestrais e exageros musicais que praticamente definiram um novo gênero.

“From Chaos To Eternity” marca o encerramento definitivo das “Algalord Chronicles”, o conceito sobre o qual todas as letras e músicas são escritas. O álbum foi produzido pelos mandas-chuva Alex Staropoli e Luca Turilli e lançado pela Nuclear Blast em junho, trazendo o Rhapsody conhecido de todos.

A já clássica instrumental narrada “Ad Infinitum” abre o disco, com a ótima voz de Christopher “Saruman” Lee. Legal ver que as guitarras já começam frenéticas, e não apenas os instrumentos orquestrais. Levemente diferente para abrir a conclusão de toda uma saga que já dura 16 anos. A pesadinha “From Chaos To Eternity” começa como uma típica música Rhapsody: guitarras velozes, orquestra bombando, vocais em coro e tudo muito, muito, muito, MUITO épico. No mesmo modelo, “Tempesta Di Fuoco” é outra típica terceira faixa do Rhapsody, com a única diferença é que ela é pesada e cantada inteira em italiano (coisa que eles não fizeram TANTO ainda). Sempre achei as faixas cantadas italianas bem legais, e essa aqui não foge disso. Em seguida, pode ser impressão minha, mas “Ghosts Of Forgotten Worlds” trazem uns riffs que são bem a cara do RAGE (o Power trio), e depois evoluem para um direcionamento mais cadenciado. Não é uma sonoridade exatamente nova como um todo, mas não é algo que o Rhapsody em si faz geralmente. “Anima Perduta”, a próxima é a típica baladinha/orquestrada/folk/medieval/parado-no-topo-de-uma-montanha-vendo-o-sol-se-por cantada em italiano, bem tanto faz, na realidade, já que eles têm outras no mesmo molde (e no mesmo andamentos, possivelmente na mesma velocidade), cantadas quase com as mesmas palavras. Na realidade não importa, pois nenhuma delas superará “Lamento Eroico”… jamais!

“Aeons Of Raging Darkness” é uma das músicas liberadas antes do lançamento do disco e uma que realmente chama a atenção pela versatilidade vocal, apostando em rasgados e quase-guturais, além de uma tentativa frustrada de blastbeats em certas passagens. Sinceramente, o estilo Rhapsody de fazer música é único, mas praticamente igual desde sempre, portanto cair para o lado um pouco mais agressivo poderia ser uma ótima inovação a se pensar. Indo para outro lado, “I Belong To The Stars” traz um leve approach mais Hard e um toque que não tem como imaginar não ter vindo de uma banda de disco music. De qualquer forma, o resultado ficou bem interessante. Agora, um dos momentos mais épicos do álbum vem logo depois de “Tornado” (uma música que também é mais do mesmo), com a mega suíte dividida em 5 partes “Heroes Of The Waterfall’s Kingdom”, com seus épicos 19 minutos, a exemplo de “Gargoyles, Angel Of Darkness”, mas trazendo alguns toques que o Rhapsody agregou a sua música nos últimos álbuns. É o máximo de “epicidade” que uma banda consegue atingir, tranquilamente.

Recentemente, o mastermind da banda Luca Turilli anunciou a sua saída e a formação de uma nova, pois ele disse que a saga que havia pensado para o Rhapsody está terminada. Apesar de meio chocante, achei sincero isso. Abre portas para os membros remanescentes tentarem algo possivelmente diferente (mais agressivo, quem sabe) e para Turilli experimentar seja lá o que lhe interessa no momento.

De qualquer forma, goste você ou não do som do Rhapsody, tem de se admitir que eles praticamente criaram um estilo próprio, o que exploraram a exaustão, com pequenas e sutis inovações com o tempo. E “From Chaos To Eternity” é um desfecho perfeito para a proposta e para a história: é basicamente um resumo de tudo o que eles já fizeram.

É mais do mesmo? Sim, evidente. Mas ainda assim, é algo muito bem feito.

E ficamos esperando para saber qual será o futuro das bandas.

01. Ad infinitum
02. From Chaos To Eternity
03. Tempesta Di Fuoco
04. Ghosts Of Forgotten Worlds
05. Anima Perduta
06. Aeons Of Raging Darkness
07. I Belong To The Stars
08. Tornado
09. Heroes Of The Waterfall’s Kingdom

Nota 8

From Chaos To Eternity Rhapsody (Of Fire)

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *