Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Protest the Hero – “Scurrilous”


A primeira impressão quando se começa a ouvir, é que parece ser mais uma daquelas bandas alegrinhas pé-no-saco que ninguém aguenta mais.
Por um momento você pensa isso, até se deparar com vários solos extremamente técnicos e uma pegada que não se vê em qualquer banda.

O Protest the Hero faz parte de um seleto grupo que combina a energia do Metalcore com a técnica apuradíssima do Math Rock/Metal.
Com dois excelentes álbuns lançados, eis que em 2011 o terceiro é anunciado: “Scurrilous”. Há um fato interessante nele. Felizmente ou infelizmente a banda parece que abandonou de vez o vocal gritado ou gutural, o que era bastante comum nos anteriores, porém não vá pensando que por causa disso o álbum é mais leve, muito pelo contrário, do começo ao fim observamos o peso aliado a técnica prevalecer.

“C’est la Vie” (Que já tinha sido lançada antecipadamente) abre explosivamente o álbum que já o coloca no estado da proposta do que a banda quer passar, no destaque está os gritos do nome da música já no minuto final, é um começo realmente empolgante. “Hair-Trigger” tira um pouco o pé do acelerador mas nem tanto, a técnica e a rapidez com destaque para o baixo ainda prevalecem fazendo dela outra excelente faixa que conta também com vocais femininos que, sim, se encaixaram muito bem, isso reforça ainda mais a tese do abandonamento do gutural. “Tandem” com seus 5:15 se mostra como a maior faixa e a que também mais se altera, o que não a faz excelente mas esbanja bom gosto.

Quando se parece que teremos um pequeno descanço, “Moonlight” aparece como um soco na cara, a música mostra sua força com muita influência do Prog Metal em geral e do
alternativo, a fazendo talvez ser a melhor… Ou não. Temos a pulsante “Tapestry” com uma pegada até meio Power Metal no estilo Angra de ser e “Dunsel”: Descanço? Nada disso! Um refrão com uma guitarra nesse ritmo faz o trabalho de não te deixar parado por nenhum instante. Essa é a faixa da revolta, muitos Fucking Motherfuckers são soltados pela música. Incansável, ela talvez seja a melhor… Talvez não.

“The Reign of Unending Terror” e “Termites” prosseguem da mesma forma. Para não dizer que o álbum é sempre a mesma coisa, eles sempre adicionam pequenos elementos que
fazem uma se diferenciar da outra e dar uma certa individualidade. Para quem não está acostumado com essa energia toda, poderá vir bem cansado para “Tongue-splitter” num conjunto já visto antes, técnica apurada e uma vontade impressionante. Para quem conseguiu chegar até a última faixa: “Sex Tapes”, irá encontrar outra grandiosidade, começando pelo refrão intrigante e partes progressivas com o baixo como destaque mais uma vez. Finalizamos com a melhor? Talvez. Só ouvindo o álbum para tirar suas próprias conclusões.

O Protest The Hero parece ser uma banda incansável que adiciona “Scurrilous” a sua ótima discografia. Será se eles conseguem manter este pique por mais lançamentos? Isso só o tempo dirá, por enquanto eles vão lapidando com cada vez mais força seu nome na cena do Mathcore e consecutivamente do Metalcore.

01. C’est La Vie
02. Hair-Trigger
03. Tandem
04. Moonlight
05. Tapestry
06. Dunsel
07. The Reign Of Unending Terror
08. Termites
09. Tongue -Splitter
10. Sex Tapes

Nota: 8,5

Scurrilous Protest the Hero

Tracklist

Lineup

Andrew Rosario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *