Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Queensrÿche – “Dedicated To Chaos”


O Queensrÿche é sem dúvida uma banda muito reconhecida e importantíssima pois eles (Ao lado do Fates Warning) foram simplesmente os inventores do estilo tão aclamado atualmente que é o Metal Progressivo. Em 1988 eles lançaram um clássico absoluto. “Operation: Mindcrime” mesclava o tradicional heavy metal com essências do rock progressivo. A partir daí com o Dream Theater esse estilo se firmou de vez. Mas e o Queensrÿche? Ainda fizeram o excelente “Empire” mas depois disso morreram na praia.

Vários e vários álbuns foram lançados com muitas ideias diferentes, todas sem sucesso, até uma parte 2 de “Operation: Mindcrime” foi feita mas não chega nem aos pés do verdadeiro clássico. Esquecida, porém ativa, a banda está até hoje com seu baixo status na estrada e em 2011 eles arriscaram mais uma vez com o álbum “Dedicated to Chaos”.

O que tentar aqui, mais uma ideia mirabolante? Ou simplesmente viver do passado? Parece que não resta outra escolha, “Dedicated to Chaos” é o típico álbum que tenta voltar as antigas, mais especificamente do álbum “Empire”, desde a capa até as músicas, tudo muito parecido. Temos como boa notícia a voz incrível de Geoff Tate que parece intacta mesmo depois de tantos anos, já o instrumental parece desgastado, talvez nem cansado, mas sim sem vontade, sem vontade de suprir as expectativas e simplesmente se conformar com o que eles conseguem e com seus limites.

Falta a essência, a magia, falta quase tudo em torno das 12 músicas. Temos um começo fraquíssimo, com músicas mais manjadas impossíveis, só na quarta faixa “Around the World” que podemos sentir que há algo de bom, um som bem suingado e interessante. O álbum logo volta a enfraquecer até “Retail Therapy” que pede quase do fundo do poço um pouco de qualidade, sim, ela tem, de um jeito tímido mas tem.

A segunda parte do álbum é um pouco melhor, toda focada mais no hard rock, de vez em quando no metal, com várias tentativas de soar como o “Empire”. “At the Edge” é uma faixa que merece atenção até pela sua maior duração e na boa experimentação com um interessante solo de sax. E “Broken” é outra com leves usos de sax, a típica baladinha profunda e desesperadora. Mais farofa e “Drive” traz mais ótimos momentos, não é toda boa mas já vale por esses momentos.

O álbum termina gratificante com “Luvnu”, com um riff bem arrastado e positivo com o destaque para o vocal de Geoff Tate, não só nela mas como no álbum todo, aliás ele é o maior expoente da banda por todo esse tempo pois com tantas trocas, Tate continua lá sempre se esforçando ao máximo.

“Dedicated to Chaos” é mais um álbum de uma banda que vive nas sombras do passado, todos sabemos da importância que ela teve mas isso infelizmente já foi e o Queensrÿche não acompanhou. Se você é fã da banda irá gostar deste, caso contrário é melhor não arriscar, e digo mais, se você nunca a ouviu, deixe este álbum de lado e vá conferir “Operation: Mindcrime”.

queensryche-dedicated-to-chaos

Dedicated To Chaos Queensrÿche

123

Tracklist

1. Get Started
2. Hot Spot Junkie
3. Got It Bad
4. Around The World
5. Higher
6. Retail Therapy
7. At the Edge
8. Broken
9. Hard Times
10. Drive
11. I Believe
12. Luvnu

Lineup

Eddie Jackson - Baixo
Scott Rockenfield - Bateria
Michael Wilton - Guitarra
Geoff Tate - Vocal
Andrew Rosario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *