Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Kayo Dot – “Gamma Knife”


Uma das bandas mais bem aclamadas quando o lema é a experimentação dentro do Rock e do Metal. O Kayo Dot é liderado por Toby Driver, o gênio por trás da espetacular e extinta banda maudlin of the Well que era única na mistura do metal extremo com um som totalmente minimalista. Pode-se dizer que o Kayo Dot é a continuação do maudlin of the Well, um pouco menos pesado, mais técnico e mais sombrio.

Seu álbum de estreia “Choirs of the Eye” é considerado um clássico do rock progressivo, onde é encontrada uma sonoridade desde a música erudita, passando pelo jazz, psicodélico e o sludge. Os álbuns posteriores não alcançaram toda essa aclamação, um ponto interessante é que eles foram ficando cada vez mais leves. Ok, linha quebrada com “Gamma Knife”.

Antes de começar a análise música a música, existem observações interessantes a se fazer. Primeiro a arte da capa. Totalmente ou quase limpa. Será se a ideia foi querer se basear num “White Album” style ou foi preguiça de idealizar uma arte? Outro ponto é a duração do álbum, 5 músicas somando no total apenas 30 minutos, meia hora de duração. Normalmente é o tempo de um EP ou coisa parecida, mais uma suposição da falta de vontade talvez?

Se houve uma certa preguiça na hora de elaborar a arte e o tempo total, felizmente não há como dizer o mesmo na estrutura das músicas. O disco inicia com “Lethe”, uma faixa que não mostra praticamente nada do que está por vir. Orquestrações bem calmas, batidas de sinos e um vocal que parece ter vindo de uma igreja. Termina a música e você provavelmente irá esquecer do que ouviu até aqui porque o ambiente obscuro e o horror dão as boas vindas. Pra quem tanto esperava, aqui está o Kayo Dot pesado novamente, com “Rite of Goetic Evocation”. Riffs estranhos, gritos confusos e sax assustador. Não espere nada mais suave que isso. E tinha como ficar pior, sim! A música ganha traços de Black Metal, muitos coros, mais confusão, mas entre tudo isso encontra-se a arte, o talento único de Toby Driver. O seu final nos remete ao sofrimento, guitarras de post-rock e a sutileza do Sax. Uma música impressionante que merece muita atenção especialmente se você estiver num bom estado emocional.

Se você queria descanso você não vai ter! Uma verdadeira esfera maligna te atinge brutalmente logo nos primeiros segundos de “Mirror Water, Lightning Night”. Vale mencionar como eles conseguiram deixar um saxofone soar tão medonho. Vozes fantasmagóricas, muitas camadas sonoras, uma levada de jazz forte. São tantas coisas que poderiam ser ditas nessas músicas pois a diversidade das mudanças de um ritmo para outro são muito constantes. Porém para poder resumir melhor essa terceira música destaco mesmo o riff assombroso de sax.

“Ocellated God” começa de uma forma mais calma, até crescer com uma virada incrível de bateria, guitarras afiadas e claro, o Sax! O Sax sem dúvida nenhuma é o instrumento principal do álbum, o que mais dá o corpo e a identidade às músicas. Logo mais entramos numa espécie de prisão, a bateria enlouquecida e vozes chocantes que nos afrontam e nos intimidam, o pavor toma conta. Se você é uma pessoa pelo menos um pouco normal, vai pedir pelo amor de Deus que essa música acabe logo. Agora se você se identifica com essa proposta do Kayo Dot, essa faixa é um verdadeiro presente!

Fim da amostra do peso. Última faixa, calma, do mesmo jeito que começou, até meio agonizante, mas nada comparado com as três anteriores. “Gamma Knife” volta com o som minimalista, uma simples guitarra, um simples piano. Foi desta forma que eles decidiram terminar o álbum. Agora depois de ouvido, sobe a pergunta, será se foi realmente falta de vontade criar algo maior ou era para soar assim? O início e o fim são calmos, digamos que o recheio está no meio. Agora cada um interpreta da forma que bem entender.

A verdade é que “Gamma Knife” definitivamente não é para qualquer ouvido. Se você não é chegado em coisas perturbadoras sem um fluxo, passe longe desse álbum. Agora se a experimentação e a inovação é o seu forte, com certeza o novo álbum do Kayo Dot é um prato cheio. Ouça-o e tome cuidado com os pesadelos a noite!

Gamma Knife Kayo Dot

1234

Tracklist

1. Lethe
2. Rite of Goetic Evocation
3. Mirror Water, Lightning Night
4. Ocellated God
5. Gamma Knife

Lineup

Toby Driver - Baixo / Guitarra / Clarinete / Teclado / Vocal
Terran Olson - Woodwind / Teclado
Daniel Means - Woodwind
Keith Abrams - Bateria
Mia Matsumiya - Violino
Tim Byrnes - Trompete / Teclado / Trompa
Andrew Rosario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *