Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Intronaut – “Habitual Levitations (Instilling Words With Tones)”


Um dos responsáveis pela remodelagem pela qual o heavy metal e suas tendências mais progressivas tem passado nos últimos anos, os californianos do Intronaut vem dando passos larguíssimos em questão de ascensão musical, de forma que a cada disco a sua identidade se torne mais e mais inclassificável.

Intronaut

Combinando elementos de jazz, ritmos tribais, música latina, stoner, sludge, psicodélico e progressivo, o quarteto está lançando o seu quarto álbum, Habitual Levitations (Instilling Words With Tones), em 2013 novamente pela Century Media. E logo de cara, já é possível perceber que a banda não diminuiu nem um pouco os seus experimentalismos.

A coisa começa arrastada e fora do convencional com Killing Birds With Stones, aonde os riffs e berros sujos alternam com momentos mais tranquilos e cadenciados de forma um tanto quanto inesperada, principalmente se considerarmos os álbuns anteriores dos americanos. Ao longo dos oito minutos ocorrem tantas mudanças de andamento, que a impressão é de que pedaços de diversas faixas foram recortadas e posteriormente encaixadas de uma maneira que fizesse sentido (e ao contrário de outras semelhantes, o resultado foi bem positivo). E se eles arrebentam qualquer estribeira com a faixa de abertura, indo do groove metal ao jazz em questão de segundos, The Welding remete ao seu direcionamento sludge e prog metal mais “convencional”, porém com a inserção de toques mais calmos, sem deixar a complexidade rítmica de lado em nenhum momento.

Steps e o seu andamento próximo do mais arrastado doom metal mantém as melodias mais tranquilas em evidencias, com intervenções acústicas que lembram uma versão jazz do Black Sabbath na fase Tony Martin, enquanto o lado mais atmosférico do post rock assopra fortemente na balada Sore Sight For Eyes, em combinação com a já característica quebrada de tempos da banda. A imundice dos riffs retorna na forma do sludge mais etéreo em Milk Leg e a sua contemplativa seção instrumental que parece saída de algum baú trancado há quarenta anos, abre caminho para a percussiva Harmonomicon e os seus toques quase space rock.

Remetendo às músicas dos álbuns anteriores, Evetual apresenta estruturas mais simples e pesadas, até (seguindo a tendência de todo o disco) mudar completamente de andamento, de forma brusca e violenta para mais uma passagem instrumental das mais viajantes. A balada com base apenas em guitarra acústica e texturas de ruídos Blood From A Stone funciona como um prelúdio para a longa The Way Down, cujo maior mérito está em ser um metal progressivo fora da linha padrão de exageros técnicos e virtuoses desnecessárias, mas sim inserindo de maneira crua elementos de eletrônico e post rock, em uma tentativa de atualizar uma vertente já estagnada (o tempo dirá se foi bem sucedido).

Ouvir o som do Intronaut nunca foi tarefa das mais simples (e escrever sobre, é menos ainda), e se nos álbuns anteriores o excesso de distorção, a produção estourada e os vocais ríspidos poderiam ser barreiras para alguns ouvidos menos preparados ou acostumados ao gênero, muito pouco desses elementos permanecem em Habitual Levitations (Instilling Words with Tones). O direcionamento adotado pelos californianos sugere algo mais leve, mais etéreo e experimental, e, ao contrário do que se pode imaginar, não diminui em nada a complexidade do seu trabalho. A complexidade rítmica sempre foi algo que chamou a atenção na banda, e aparentemente ultrapassou qualquer limite nesse novo álbum, com mudanças de andamento violentas, que deixam a sensação de que temos aqui pelo menos o triplo de músicas do que o tracklist informa.

Isso é ruim? De forma alguma, o Intronaut explora mais uma face da sua identidade musical de forma notável, e dá mais um considerável passo em direção a sonoridade única, provando de uma vez por todas o porquê de ser uma das mais promissoras bandas do heavy metal contemporâneo.

Intronaut

Habitual Levitations (Instilling Words With Tones) Intronaut

12345

Tracklist

01. Killing Birds With Stones
02. The Welding
03. Steps
04. Sore Sight For Eyes
05. Milk Leg
06. Harmonomicon
07. Eventual
08. Blood From A Stone
09. The Way Down

Lineup

Sacha Dunable – vocal / guitarra
Dave Timnick – guitarra
Joe Lester – baixo
Danny Walker - bateria
Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *