Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Hail Spirit Noir – “Pneuma”


Projeto formado por membros da banda Transcending Bizarre? (o nome é com interrogação mesmo – um grupo excelente, por sinal), esses gregos montaram o Hail Spirit Noir com o intuito de misturar o lado mais cru do Black Metal com elementos de Rock Progressivo e Psychedelic.

Intencionalmente produzido da forma mais rústica e estragada possível, “Pneuma” foi lançado em Março pela Code666/Aural Music e recebeu a cuidadosa masterização de Jens Bogren e mixado no Lunatech Studios (o mesmo do Rotting Christ), principais responsáveis pela aura perturbadora e enigmática do álbum.

Apesar de bem esquisitos, os primeiros segundos de música remetem diretamente aos filmes de máfia, como se ele fosse dirigido por um norueguês estudioso da cena Black Metal daquele país. “Mountain Of Horror” alterna entre um inexplicável andamento atemporal com melodias soturnas que parecem saídas diretamente de um dos álbuns solo do King Diamond (que no fim das contas, parece ser a maior referência aqui). E falando em performances teatrais, “Let Your Devil Come” traz um interessante toque de atuação e musical, graças aos elementos orquestrais no fundo, mesmo quando a faixa cai no lado mais sujo e pesado. “Against The Curse, We Dream”, por outro lado, soa como uma versão mais sombria e extrema dos suecos do Ghost, com algumas mudanças de andamento e elementos inusitados (mas a influência é evidente).

Um pouco mais ligada ao Rock Progressivo, “When All Is Black” consegue em cinco minutos sair de uma sonoridade bem depressiva e bem produzida (lembrando bastante o Opeth em “Damnation”) e se desenvolver, não por caminhos muito diretos, ao mesmo Black Metal rasgado ouvido na faixa anterior. A épica “Into The Gates Of Time” vai ainda – muito – mais longe, encaixando incontáveis passagens instrumentais e passagens de andamento com a sonoridade bem envelhecida que percorre todo o álbum, como se fosse uma banda da década de 70 fazendo experimentos com ritmos mais extremos e inéditos a época. “Haire Pneuma Skoteino” fecha o disco de forma sombria, um tanto quanto perturbadora, principalmente por causa das variações vocais e do timbre intencionalmente distorcido das linhas de teclado, como se estivéssemos ouvindo uma música gravada de forma rústica há muito tempo atrás.

O que deve ter-se em mente ao ouvir “Pneuma” é que ele não soa completamente como um disco de Black Metal atual, tampouco como um disco de Black Metal clássico. Na realidade, o mais próximo que podemos chegar ao descrever o som do Hail Spirit Noir é se imaginarmos que uma banda, em meados dos anos 40 tenha composto uma coleção de faixas tão extremas, tão experimentais, tão a frente do tempo, que o trabalho foi excomungado e considerado proibido pelas instituições religiosas (não que elas tivessem esse poder, claro). Algumas décadas mais tarde, então, alguém acha uma cópia desse disco e ao restaurar descobre uma série de músicas distorcidas, com uma aura estranha, e resolve restaurá-las e lançar como uma banda nova.

Parece exagero, mas a sensação ao ouvir o debut desses gregos é mais ou menos essa, tamanho o cuidado que eles tiveram ao compor as faixas para que seguissem a tendência atual no Heavy Metal de soar como o obscuro Occult Rock, mas incluindo os seus próprios elementos e tornando o Hail Spirit Noir uma banda única atualmente.

Hail-Spirit-Noir-Pneuma

Pneuma Hail Spirit Noir

123

Tracklist

01. Mountain Of Horror
02. Let Your Devil Come Inside
03. Against The Curse, We Dream
04. When All Is Black
05. Into The Gates Of Time
06. Haire Pneuma Skoteino

Lineup

Theo Liratzakis (Theoharis) – Vocal / Guitarra
Dimitris Makrantonakis (Dim) – Baixo / Guitarra
Haris – Teclado
Giannis Chionidis (Ioannis Yahoudis) – Bateria
Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *