Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Gardenia – “El Libro De Los Soles”


Um dos nomes do rock progressivo argentino formado após a dissolução de outras duas bandas de Salta, o Gardenia apresenta um som relativamente impressionante. Mesclando blues, jazz, rock progressivo da escola King Crimson e vários ritmos tipicamente latinos, o quinteto aposta não apenas na música, mas na experiência completa também no aspecto visual.

Gardenia

Após os elogiados EPs Sidera Visus e Ummo, e do seu disco de estreia Invocacion A Los Pajaros, El Libro De Los Soles é mais um considerável longo passo no desenvolvimento da identidade dos argentinos, e foi disponibilizado no seu próprio bandcamp.

Como a abertura de um filme, Alamo inicia com atmosferas orquestrais, montando a base para o rock progressivo carregadíssimo de melodias que apenas um sintetizador consegue proporcionar. O andamento e ritmos com um pé no jazz se mostram bastante influenciados pelo The Mars Volta, a exemplo da segunda faixa, Al Horizonte, com fortes tendências viajantes de space rock, sem se desgarrar do groove latino, que é o principal guia de Lumine e a sua dinâmica estrutura, agregando vários elementos em uma música relativamente curta.

As camadas de sintetizadores garantem uma quebra de ritmo bem interessante na cadenciada Nace, remetendo diretamente ao psicodélico do fim da década de 60, mas com um absurdo peso que garante a sua singularidade. O mesmo ocorre com Acuario e o seu direcionamento um pouco mais eletrônico, um dos momentos mais facilmente absorvíveis no álbum, graças ao excelente trabalho de Adrián Moroni (não apenas nessa faixa, a propósito).

Vuelve A Ser, em seguida, é uma belíssima balada de forte apelo cósmico, com aqueles típicos solos de guitarra etéreos e linhas de teclado infinitas, o suficiente para causar uma flutuante experiência, como se tirada diretamente de um empoeirado vinil da década de 70. Luminari traz de volta as influencias da música mais de raiz, com toques folk e tribais espalhados de forma tímida pela faixa, e evolui para um épico e grandioso final, que encerra lentamente o álbum.

A audição de El Libro de Los Soles não chega a ser exatamente complexa ou incompreensível, mas é uma daqueles ótimas obras que não podem ser inteiramente aproveitadas se o ouvinte não está completamente focado, atento a cada detalhe apresentado. O instrumental esconde diversas passagens excelentes, principalmente no que se trata dos teclados e sintetizadores, os grandes responsáveis pela qualidade do álbum, que mesmo estando completamente à frente, têm incontáveis detalhes que fazem a total diferença. Mesclar bons traços do megalomaníaco progressivo sinfônico da década de setenta com elementos de música latina, jazz e rock atmosférico, de forma coesa, faz com que o Gardenia crie uma interessante identidade musical, que mesmo apenas reciclando conceitos clássicos, é executado de forma praticamente impecável e soa impressionantemente moderna.

Gardenia

El Libro De Los Soles Gardenia

1234

Tracklist

01. Alamo
02. Al Horizonte
03. Lumine
04. Nace
05. Acuario
06. Vuelve A Ser
07. Luminari

Lineup

Sergio Caram – baixo
Ezequiel Fernandez – bateria
Iván Luis – vocal / guitarra
Pablo Moreno – guitarra
Adrián Moroni – teclado / sintetizador
Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *