Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Fen – “Dustwalker”


Direto das marismas londrinas, o trio Fen é originário da região conhecida como The Fenlands, e é exatamente desse ambiente vazio e gelado que eles tiram a inspiração para as suas músicas e letras.

Fen

Com sete anos de carreira, a banda já lançou dois álbuns, The Malediction Fields, de 2009, e o elogiado Epoch, dois anos depois, que praticamente colocou o seu nome em evidência dentro do cenário da música extrema, graças à combinação de black metal e post rock. Dustwalker, o terceiro trabalho, foi lançado novamente pela Code666, em um distante 21 de janeiro.

Consequences abre o disco sem deixar um segundo sequer para respirar, e acaba empurrando de forma brusca e violenta para dentro da sua sonoridade. E não é ao menos, a produção ainda mais crua pela qual a banda optou em Dustwalker enfatizou (e muito) o lado mais extremo da banda, para o bem ou para o mal, lembrando o black metal norueguês do início da década de 90, de forma que as inserções atmosféricas aparecem apenas de forma superficial. Esses elementos aparecem apenas de forma considerável em Hands Of Dust, um gélido post rock lento e repetitivo, que vai adquirindo proporções extremas de forma tranquila, e também em Spectre, com seu clima etéreo e monótono, aonde é possível perceber que a produção invariavelmente também beneficiou o lado mais leve da banda.

Após o interlúdio Reflections, Wolf Sun é definitivamente o momento mais interessante do álbum, com a inserção de tempos diferenciados, toques de shoegaze e post black metal, que voltam a aparecer em The Black Sound, faixa mais cadenciada e beneficiada pelas texturas atmosféricas criadas pelas guitarras. Walking The Crowpath, a epopeia de mais de 13 minutos que finaliza Dustwalker é mais um agradável momento, com linhas vocais devidamente encaixadas e dinâmicas, que basicamente resumem o significado da música do Fen.

Porém, olhando em um panorama geral, esse terceiro disco dos londrinos acaba pecando (e muito) pelo exagero em determinados pontos. As faixas soam desnecessariamente longas, com desenvolvimentos interessantes, mas excessivamente tardios. A escolha por uma produção mais suja auxilia em criar um diferencial, porém as próprias estruturas das músicas não contribuem para uma audição saudável. A proposta da banda é bem interessante em unir dois estilos bem diferentes que combinados podem ter os melhores resultados, mas, faltou algo para que discernir cada passagem e compreender a fundo o objetivo em Dustwalker.

Fen

Dustwalker Fen

12

Tracklist

01. Consequence
02. Hands Of Dust
03. Spectre
04. Reflections
05. Wolf Sun
06. The Black Sound
07. Walking The Crowpath

Lineup

Grungyn – vocal / baixo
The Watcher – vocal / guitarra
Daerwydd - bateria
Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *