Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Epica – “Requiem For The Indifferent”


O sexteto holandês formado por Mark Jansen após a sua saída do After Forever chamou a atenção do público Heavy Metal quando as bandas com mulheres nos vocais estavam em alta graças ao peso extra introduzido nas suas composições, além da belíssima voz de Simone Simmons (que nesse caso, essa qualidade não para na voz).

Comentários óbvios a parte, “Requiem For The Indifferent” é o sexto álbum da carreira do Epica e teve uma das mais cuidadosas produções em um álbum de Metal nos últimos anos, capitaneado pela lenda Sascha Paeth e gravado no mundialmente famoso Gate Studios, na Alemanha (lugar aonde algumas das mais clássicas obras do Power Metal foram gravadas).

Após a introdução bem a lá Therion (com direito a perfeitos jogos de vocais) de “Karma”, a faixa “Monopoly On Truth”, com seus mais de sete minutos é uma das mais bem construídas e completas faixas da carreira dos holandeses: riffs bem Power Metal mesclado a belíssimos arranjos orquestrais e, claro, a miscelânea de vozes dos mais diferentes estilos, que realmente roubam a cena neste disco (reparem em como o gutural encaixou muito bem com o tenor e o baixo). Em estruturas mais simples, “Storm The Sorrow” dá continuidade ao disco de forma mais cadenciada e direta, chegando a lembrar um pouco os últimos álbuns do Kamelot em alguns momentos, com a diferença que ao invés da voz dramática de Khan somos agraciados com a hipnótica Simone Simmons, efeito que continua até o fim da balada “Delirium”. Com um clima bem teatral, a pesadíssima “Infernal Warfare” traz uma sensação bem carregada, que predomina durante os oito minutos da faixa título, regado novamente pela dinâmica de vocais.

O interlúdio “Anima” serve como prelúdio para “Guilty Demeanor”, aonde os arranjos sinfônicos realmente tomam a frente e fazem a base perfeita, enquanto a balada “Deep Water Horizon” é completamente conduzida pelos arranjos acústicos e tem uma das melhores letras do álbum, sobre um instrumental que vai muito além dos moldes tradicionais. “Stay The Course”, por outro lado, coloca Mark Jansen a frente, praticamente um Death Metal orquestrado e um daqueles refrões cantados por Simone Simmons dignos de permanecerem um bom tempo na memória, e “Deter The Tyrant” fica no meio termo entre o Therion da fase Lemuria / Sirius B e algumas passagens mais Power Metal. Apesar do início bem tranquilo, “Avalanche” consegue fazer com que as incríveis mudanças de andamento roubem novamente a cena. E por falar em diversidade musical, “Serenade Of Self-Destruction”, a belíssima e épica faixa de encerramento do álbum tem um clima novamente bem teatral, como o clímax final de um filme (detalhe que essa música, nas primeiras prensagens, veio sem os vocais de Mark Jansen e Simone Simmons, em uma versão deveras esquisita).

“Requiem For The Indifferent” é um disco ousado, que voa alto, arrisca sem medo em diversas partes, e ainda mantém a identidade musical do Epica intacta. Podemos dizer que esse sexto álbum dos holandeses é um trabalho completo, com um cuidado de produção e composição digno de nota (não a toa, a quantidade de músicos envolvidos nessa empreitada é incrível). Em tempos aonde várias bandas tem simplificado o seu som (vide as outras de Gothic / Power com mulheres nos vocais), o Epica dá um passo larguíssimo em direção à virtuose e exploração musical do Progressivo, colocando o feeling e a beleza musical acima de tudo.

Epica

Requiem For The Indifferent Epica

1234

Tracklist

01. Karma
02. Monopoly On Truth
03. Storm The Sorrow
04. Delirium
05. Internal Warfare
06. Requiem For The Indifferent
07. Anima
08. Guilty Demeanor
09. Deep Water Horizon
10. Stay The Course
11. Deter The Tyrant
12. Avalanche
13. Serenade Of Self-Destruction

Lineup

Simone Simmons – Vocal
Mark Jansen – Guitarra / Vocal
Yves Huts – Baixo
Coen Janssen – Teclado / Piano / Arranjos orquestrais
Isaac Delahaye – Guitarra / Arranjos orquestrais
Ariën van Weesenbeek – Bateria / Vocal

Amanda Somerville – Vocal (alto)
Tanja Eisl – Vocal (alto)
Linda Janssen – Vocal (soprano)
Laura Macri – Vocal (soprano)
Previn Moore – Vocal (tenor)
Christopher Drescher – Vocal (baixo)
Simon Oberender – Cantos gregorianos
Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *