Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Diablo Swing Orchestra – “Pandora’s Piñata”


O extravagante Diablo Swing Orchestra é uma das bandas mais cultuadas do Heavy Metal graças a sua mistura inusitada com ópera, jazz, swing, música clássica e progressivo, sem contar as interpretações teatrais, que acabam colocando-os como o maior nome dentro do Avant-Garde Metal e um dos nomes musicais mais respeitados na Suécia.

“Pandora’s Piñata” é o aguardadíssimo terceiro álbum do agora octeto, lançado pela Candlelight Records e vem recebendo críticas positivas de basicamente todas as publicações, que elogiam a diversidade impressionante neste trabalho.

Possivelmente a melhor faixa de abertura em um disco do DSO, “Voodoo Mon Amour” traz todos os elementos essenciais para um bom carro-chefe: melodias marcantes (e bota marcante nisso), um andamento que segura o ouvinte por toda a música e os sempre excelentes vocais de Annlouice Loegdlund e Daniel Hakansson já colocam imediatamente na atmosfera do álbum. Os óbvios ritmos latinos de “Guerrilla Laments” estabelecem de vez como a entrada de Daniel Hedin e Martin Isaksson acrescentou de forma positiva o som de metais (trombone e trompete) no Avant-Garde dos suecos, sem contar, claro, as inúmeras participações, que engrandecem ainda mais as faixas.

Mais próxima do Folk e bem mais tranquila, “Kevlar Sweethearts” é aquele momento em que as luzes ficam mais baixas e a cantora toma a frente em uma música “lenta”, enquanto que depois do interlúdio “How To Organize A Lynch Mob”, o ritmo volta ao normal com a caótica, distorcida e perturbadora (graças as “vozes de criança”) em “Black Box Messiah”, flertando em diversos momentos com uma sonoridade próxima aos últimos discos do Nightwish e até outras bandas ainda mais Pop (por assim dizer).

E por falar em Metal, os riffs e melodias de “Exit Strategy Of A Wrecking Ball” fazem jus a origem escandinava do Diablo Swing, evidentemente entrelaçada com a sua própria identidade. “Aurora”, porém, vai por outro lado e retoma aquele agradável clima de musical da Disney (encaixaria perfeitamente naqueles momentos melancólicos lá pela metade do filme), montando a base para os ritmos árabes de “Mass Rapture”, novamente bem encaixada com o lado mais pesado da banda.

Outro destaque em “Pandora’s Piñata”, eles apostam pesado no lado mais Swing/Jazz/Big Band com “Honey Trap Aftermath” e os espetaculares resultados da base de baixo e metais, transportando imediatamente para um ambiente esfumaçado, há quase um século atrás. Mantendo-se nessa linha, “Of Kali Ma Calibre” é uma junção muito interessante de ópera com Heavy Metal, lembrando os melhores momentos do Therion (com direito até a tímidos blast-beats), se desconsiderarmos as abissais diferenças entre as bandas. Encerrando a obra, “Justice For Saint Mary” é praticamente uma aula para várias bandas que tentam (a maioria sem sucesso) soar ao mesmo tranquila e com um sentimento épico tão grandioso. Uma bonita balada que mesmo diferente em relação ao resto do disco não soa fora de contexto em nenhum momento e, muito pelo contrário, é o perfeito desfecho para o álbum (surpreendente, aliás).

Novamente o Diablo Swing Orchestra faz justiça ao reconhecimento e ao status de cult entre os apreciadores do Heavy Metal cheio de firulas e totalmente solto de qualquer amarra imaginável. Aliás, a essa altura do campeonato é até estranho categorizar o som desses suecos como Metal, ou pelo menos considerar este como o estilo central. E ao longo das onze faixas a banda consegue passear tranquilamente pelas mais variadas vertentes e, o mais importante, carregando o ouvinte junto para todos os cenários, histórias, personagens e experiências que o universo da sua música cria.

“Pandora’s Piñata” é mais um álbum que representa a liberdade de expressão musical na sua essência. E vai muito além da música.

Diablo Swing Orchestra

Pandora’s Piñata Diablo Swing Orchestra

1234

Tracklist

01. Voodoo Mon Amour
02. Guerrilla Laments
03. Kevlar Sweethearts
04. How To Organize A Lynch Mob
05. Black Box Messiah
06. Exit Strategy Of A Wrecking Ball
07. Aurora
08. Mass Rapture
09. Honey Trap Aftermath
10. Of Kail Ma Calibre
11. Justice For Saint Mary

Lineup

Annlouice Loegdlund – Vocal
Daniel Hakansson – Vocal / Guitarra
Pontus Mantefors – Guitarra
Andy Johansson – Baixo
Petter Karlsson – Bateria
Johannes Bergion – Celo
Martin Isaksson – Trompete
Daniel Hedin – Trombone

Wictor Lind – Percussão
Elisabeth Jansson – Trompa
Ekaterina Skidanova – Oboé
Lucy Rugman – Clarinete
Anna Melander – Flauta
Micheal Carlqvist – Contrabaixo
Emilia Wareborn – Viola
Erika Risinger – Viola / Violino
Diana Lewtak – Violino
Oskar Reuter – Bandolim
Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Uma resposta para “Diablo Swing Orchestra – “Pandora’s Piñata””

  1. Pra mim, o álbum é nota 10 e o final com dubstep é épico. Queria ter visto eles ao vivo. ;~~~~~~

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *