Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Blackfield – “Welcome to My DNA”


 

Steven Wilson possui inúmeros projetos, dentre eles o mais reconhecido é o Porcupine Tree, também costuma produzir e mixar álbuns de outras bandas. Pois então é conhecido como uma máquina de fazer música, e desta vez ele se reúne com seu companheiro israelita Aviv Geffen para lançar o terceiro disco do Blackfield, um projeto que não é tão voltado progressivamente dizendo, com canções mais curtas e diretas.

Seus dois primeiros álbuns, intitulados “Blackfield I e II” conseguiram uma ótima repercussão, com músicas impactantes e gostosas de ouvir, Sempre comandadas por Steven, fazendo o parecer de que Aviv Geffen era um mero coadjuvante. E isso mudou em “Welcome to My DNA”.

O álbum abre com a agradável “Glass House”, uma típica música do Blackfield com Steven no vocal, até aqui parece estar tudo normal até chegar “Go to Hell”, então Aviv mostra as caras, com uma boa melodia e uma letra no melhor termo WTF? Totalmente desnecessária. Outro ponto que vemos por ela é o excessivo uso de orquestrações bastante vistas em “Rising of the Tide” e também no álbum todo.

“Waving” é de longe a mais agradável com seus “Lalalas” e uma pegada bem alternativa, é aquela música para se ouvir várias vezes até não suportar mais. Já “Far Away” é a que mais se assemelha com os dois primeiros do Blackfield só que sem muita inspiração.

“Blood” varia bastante das outras canções, onde implantam um grande riff bem ao estilo Folk Metal. Até esse caminho percorrido já se percebe a maior participação de Aviv tanto nas composições quanto no vocal. Isso se confirma na também alternativa e ótima “Oxygen” e “Zigota” que nada mais é do que uma regravação de uma música de sua carreira solo.

“DNA” termina o álbum quase da mesma forma que terminou seu antecessor com “End of the World” só que sem tanta inspiração, aliás, ela reflete o que é o álbum todo: Continua sendo o mesmo Blackfield só que dessa vez menos inspirado.

A verdade é que esse disco é muito mais do Aviv Geffen do que de Steven Wilson, que soa despreocupado e cansado, talvez seja pelos muitos trabalhos que ele está envolvido simultaneamente, vide: Opeth, Storm Corrosion, carreira solo e regravações de álbuns clássicos.

01. Glass House
02. Go to Hell
03. Rising of the Tide
04. Waving
05. Far Away
06. Dissolving with the Night
07. Blood
08. On the Plane
09. Oxygen
10. Zigota
11. DNA

Nota 7,5

Blackfield – “Welcome to My DNA”

Tracklist

Lineup

Andrew Rosario

Uma resposta para “Blackfield – “Welcome to My DNA””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *