Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

In Flames – “Sounds Of A Playground Fading”


O que mais impressiona quando se fala das bandas que ajudaram a moldar o Melodic Death Metal sueco, é que cada uma seguiu um estilo próprio (sim, eu já falei isso antes! Estou me repetindo). E ainda que algumas pessoas julguem o In Flames por ter ficado mais “americanizado”, “metalcore”, parará, piriró, é inegável a influência que eles tem em cima de MUITAS bandas e por serem até responsáveis por elevar o MeloDeath a um outro patamar.

“Sounds Of A Playground Fading” é o décimo disco dos caras e é o primeiro sem o guitarrista fundador Jesper Strömblad, que saiu em 2010 para se tratar dos seus problemas com alcoolismo (de novo), fazendo com que o In Flames se torne mais uma banda que continua sem nenhum membro da formação original.

Produzido por Roberto Laghi em parceria com Anders Fridén, no IF Studios em Gotemburgo, prometendo mais melodias vocais e um melhor trabalho nas guitarras. O disco estreou nas primeiras posições dos charts por todo o mundo.

Melodias acústicas a lá trilha sonora de filme alternativo europeu dão o tom da abertura com a faixa título, uma música com um groove bem In Flames e uma grata surpresa com os vocais de Mr Fridén, focando mais em cantar melodicamente do que berrar, assim como no modernoso single “Deliver Us”, a primeira música a ser liberada junto com o aparentemente sem sentido vídeo da roda gigante. “All For Me”, traz um andamento muito parecido com a faixa título, mas apostando em mudanças de passagens diferenciadas (e alguns licks de guitarra sensacionais), enquanto “The Puzzle” resgata bastante  do MeloDeath mais clássico do final dos anos 90, mais sujo e rápido, sem deixar de lado os samples já característicos, que criam um ambiente único. E sobre o ótimo trabalho de guitarras, “Fear Is The Weakness” é mais um bom exemplo de como o cuidado foi extremo, já que, aliado aos efeitos eletrônicos, o clima quase épico criado pelo instrumental impressiona. E por falar em samples, são eles que comandam a introspectiva mid-tempo e com belas melodias vocais “Where The Dead Ships Dwell”.

Em seguida, para assustar os mais desavisados, vem a semi-mórbida “The Attic”. Se fosse para fazer um paralelo, eu diria que essa música está para esse disco assim como “Day To End” está para o “Projector” (Dark Tranquillity), considerando as abissais diferenças entre as bandas hoje. Mas tudo volta ao normal com “Darker Times”, tipicamente In Flames e a excelente “Ropes”, que mais parece uma versão moderna de alguma banda da NWOBHM (os riffs no começo são invariavelmente nostálgicos), mesmo com as diversas mudanças ao longo dela, mostrando até um lado… Pop (?). “Enter Tragedy”, por sua vez, traz um lado mais Metalcore americano, com um requinte que bandas como Trivium e As I Lay Dying têm (irônico, já que essas duas citam o In Flames como grande influência). Em seguida, a bizarra “Jester’s Door” (que nem é uma música propriamente dita) dá início a quase Iron Maiden “A New Dawn” (no começo, lógico), uma música que não pode ser classificada melhor do que “uma das últimas de um disco do In Flames”, com um solo de guitarra propenso ao air guitar, que constrói uma melodia muito interessante junto com o cello de Johannes Bergion. O disco fecha com a bizarríssima “Liberation”, que lembra uma versão mais energética do Katatonia e já podemos colocar como ótimo momento do disco, fechando de uma forma que o ouvinte só pensa duas coisas: “o que está acontecendo?” e “peraí, vai acabar AGORA?”. Ah, a arte de deixar com vontade por mais…

Nos últimos trabalhos, particularmente eu andava meio apreensivo de o In Flames cair na mesmice e não tentar mais nada novo. Mas apesar dos pesares, aparentemente a saída (temporária, espero) de Jesper Stromblad pode ter trazido algo de mais saudável para o clima da banda, fazendo de “Sounds Of A Playground Fading” um destaque dentro da própria discografia dele e entre os álbuns de 2011.

01. Sounds Of A Playground Fading
02. Deliver Us
03. All For Me
04. The Puzzle
05. Fear Is The Weakness
06. Where The Dead Ships Dwell
07. The Attic
08. Darker Times
09. Ropes
10. Enter Tragedy
11. Jester’s Door
12. A New Dawn
13. Liberation

Nota 9

In Flames – “Sounds Of A Playground Fading”

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *