Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Queensrÿche: Operation Images For Order II


1999 – Q2K

Único álbum da banda a contar com o guitarrista Kelly Gray, “Q2K” é um disco único na carreira da banda (aliás, cada um daqui pra frente tem um direcionamento bem característico) e talvez em uma tentativa de “modernizar” um pouco a sua identidade, a capa do trabalho mostra o símbolo da banda saindo do meio de componentes eletrônicos, com uma luz fantasmagórica. Apesar de não ter nenhuma relação, é difícil não olhar para essa capa e lembrar do seriado Stargate.

2003 – Tribe

Disco de pouco sucesso comercial, “Tribe” apresenta um trabalho visual que imediatamente já é associado ao seu título: o símbolo desenhado de forma rupestre em uma pedra foi muito bem pensado.

2006 – Operation: Mindcrime II

Continuação do disco mais bem sucedido da banda, a capa também faz referência direta ao conceito da segunda parte (que se passa 18 anos após o fim de “Operation: Mindcrime”), lembrando novamente aquelas montagens em preto e branco a lá Grindcore do final dos anos 80. Como se fosse uma colagem de jornal, por mais feia que seja é mais uma capa clássica da banda.

2009 – American Soldier

Única capa da banda a não ter o símbolo característico e é completamente baseado na visão pessoal das guerras (o próprio Geoff Tate entrevistou vários veteranos de guerra para coletar vários pontos de vista). A forma que a capa, simples e belíssima, foi colocada encaixou muito bem no conceito do álbum. Todo o merchandising e turnê de promoção desse disco foi baseado no patriotismo americano, inclusive com o símbolo da banda estilizado.

2011 – Dedicated To Chaos

Apesar do conteúdo controverso, a arte de “Dedicated To Chaos” é muito bem pensada, com várias imagens desconexas fazendo referência aos trabalhos anteriores do Queensrÿche, encaixadas para formar o símbolo da banda. Um ótimo exemplo de como uma ideia simples bem executada tem um resultado muito melhor do que algo exageradamente mirabolante (algo que eles não conseguiram exatamente na parte musical, mas isso é tema pra outra hora).

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *