Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Fates Warning: Artes sem saída…


1984 – Night On Bröcken

Com o orçamento baixo, é perfeitamente justificável que a capa do debut seja apenas essa foto (reparem como o logo foi muito bem recortado). Mas pelo menos eles conseguiram colocar bem dentro do contexto do disco, afinal de contas, “Bröcken” aparentemente é uma referência a uma montanha na Alemanha com alusões à bruxaria (principalmente no poema Fausto). Na realidade, esse álbum teve duas capas anteriores: a primeira era uma mulher sendo queimada e a outra… bem… vejam logo abaixo (crianças de 5 anos fazem desenhos semelhantes, convenhamos). Lembrando que nessa época (e até os dois lançamentos seguintes) o Fates Warning ainda apostava muito nesse lado lírico típico do Metal oitentista.

1985 – The Spectre Within

Apesar de ser uma capa icônica na história do Heavy Metal, analisando com certa frieza, podemos notar alguns detalhes deveras interessantes e incríveis. A personagem da capa (uma provável alusão à faixa “Traveller In Time”) foi desenhada com proporções bizarras, principalmente o capacete completamente torto. Fora isso, o que dizer do corvo ali voando, cujos traços mais se assemelham a um urubu?

1986 – Awaken The Guardian

É certo que portais interplanetares/dimensionais/universais são conceitos há muito abordados pela ficção científica (e presente em várias culturas milenares, se você acredita em determinados mistérios), mas chega a ser intrigante como o portal representado nesta capa se assemelha ao apresentado no filme/série “Stargate” oito anos depois. O clima meio Black Metal / RPG da capa parece totalmente tirada de um livro de fantasia antigo, e no canto esquerdo inferior vocês podem ver o capacete da personagem do disco anterior caído no chão e também descobrir que no fim das contas, a sombra voando realmente era um urubu!

1988 – No Exit

O primeiro disco do Fates Warning calcado no lado humano e interno, e invariavelmente começando a focar um pouco mais o seu lado Progressivo, “No Exit” traz uma capa um tanto quanto bizarra e com aquela ilusão de ótica sutil. Possivelmente não seja intencional, mas assim que você bate o olho, a sua memória é ativada e você tem uma sensação de já ter visto essa capa antes. Pois bem, ela não lembra bastante a “Time And A Word”, do Yes?

1989 – Perfect Symmetry

Muito bem montada e com um estilo que se tornaria “típico” entre as bandas de Prog Metal nos anos seguintes, chega a ser um tanto quanto perturbador essa cena em três momentos diferentes, mas dentro do mesmo cenário. Não há muito a ser analisado criteriosamente aqui, restando talvez apenas o detalhe do “FW-5” escrito na linha de “montagem”, evidentemente uma referência sobre ser o quinto álbum do Fates Warning,

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

2 respostas para “Fates Warning: Artes sem saída…”

  1. Jorge Lucas disse:

    Interessante!!

    Hehe, é incrível como as 2 primeiras capas do 1° disco são tragicamente feias.

    Sou fãzaço do fates warning, conheci ano passado, porém já deu pra escutar ferozmente toda a discografia. E cara… QUE DISCOGRAFIA! HAHAHA. BANDA INCRÍVEL!! É realmente uma pena ela nunca ter sido reconhecida como deveria…

    A era John Arch é de tal perfeição… eu nem sei explicar. As músicas são místicas, viciantes, surtadas. Os vocais do Arch são estranhissimos e geniais ao mesmo tempo. Muitos dizem que o vocal dele é totalmente chupado do Bruce Dickinson, e isso é até verdade até certo ponto, já que a influência é realmente latente no 1° disco.

    Os albuns com Ray Alder são animais também, bem mais progressivos. O No Exit é uma verdadeira AULA de metal-prog.

    E ano passado saiu o 1° disco do ARCH/MATHEOS, que junta o John Arch e o Jim Matheos (na verdade, junta a turma toda do fates warning, exceto o Alder). Algum plano referente a uma resenha aqui no progcast?

    E afinal, sairá o lendário progcast sobre o FATES WARNING?

    Hehe, to na espera.

  2. betão disse:

    Fates Warning. Puta banda, puta som, agradeço sempre ao Bolão camarada das antigas que trampa com musica e toca batera e baixo para caraio que me apresentou. Estavamos falando de Dream Theater e ele disse " vc precisa ouvir Fates Warning". Fui atras da discografia e surtei literalmente, o que são os 3 primeiros discos? Insanos para dizer o minimo. Quanto ao que vem depois são todos discos maravilhos desde o No Exit que é referencia para qualquer banda de prog metal que se preze, passando pelo complexo A Plesant …………. e pelos espetaculares e citados erroneamente como "mais comerciais", Inside Out e Parallels, sem esquecer tambem do ultimo lançamento "X" que é um disco fenomenal. Dizem que o disco novo esta pra sair agora em 2012/13, tomara que saia logo pois a ansiedade mata. Ah,sem esquecer do puta show no HSBC agora em 2012.

    Abraços a todos,

    Fates rules.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *