Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Caravan: Se nós pudéssemos, nós pintaríamos tudo de novo II


1976 – Blind Dog At St. Dunstans

 

Um álbum com o leve acento Pop (graças às contribuições de Pye Hastings), a capa desse disco mostra a rua St. Dunstan, em Canterbury (os membros do Caravan costumavam freqüentar os pubs dessa área), mas em um mundo dominado pelos cachorros, com placas de “é proibido uivar a qualquer hora do dia” ou um carrinho de “hot humans”. St. Dunstan foi um arque bispo de Canterbury, santo dos cegos, que foi homenageado ao batizarem um hospital/lar que tratava pessoas com essa condição, e o título do álbum foi tirado de uma explicação do autor Noel Coward sobre um cachorro empurrando outro cachorro (cego) para o hospital St. Dunstan.

1977 – Better By Far

Continuando a nova sonoridade do trabalho anterior, “Better By Far” mostra os caras da banda sendo servidos por vários empregados, uma mesa farta em um lugar mega luxuoso. Se esse é o exemplo de estarem “bem na fita”, ok, certo?

1980 – The Album

Bom, são duas capas aqui: uma horrenda, com o logo modificado e o título sobre um fundo rosa, e outra com o nome da banda e do disco esculpidas na pedra, mais ou menos como uma pirâmide. Pois é, o título é ruim e as capas não são aquelas coisas.

 

1982 – Back To Front

Sinceramente, é meio complicado identificar o sentido real dessa arte. Os pássaros estão saindo das flores? As flores viram pássaros? E o pior é que a letra da faixa-título não traz nenhuma citação ou pista sobre isso.

1995 – The Battle Of Hastings

13 anos depois, e ainda assim a banda não lançou outra capa ao nível. Apesar da idéia muito legal, contando a história da própria batalha de Hastings (em 1066), resumindo-a a soldados montados avançando contra uma parede de escudos e vários mortos depois. Claro, é uma recriação das Tapeçarias de Bayeux (acesse aqui para ver mais sobre ela), mas estampá-la em rosa e preto não foi a melhor das idéias.

2003 – The Unauthorized Breakfast Item

Ah, o humor ingles, ahn? Os caras na lanchonete e a senhora servindo um peixe gigante inteiro. É bem cara de bandas antigas progressivas lançando álbum pós 2000

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *