Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Ego Trip – Os TOP 100 álbuns: Lado A – Classic Rock


Saudações, Proggers!

Já que Julho é o famigerado mês em que comemoramos o dia do Rock, precisamos comemorar de alguma forma, certo? Então preparei uma lista com os meus 100 álbuns favoritos de todos os tempos e separei-os mais ou menos por estilo, já que o Progressivo é só uma minoria e um post só ficaria gigantesco e pesado demais.

Os critérios foram: Cada banda aparece apenas uma vez, a classificação no post é por ordem alfabética (de álbum) e segue apenas o meu gosto pessoal como critério avaliador. Ou seja, vocês vão discordar de 99% do que eu postar aqui. Aproveitem então para postar o seu próprio Top 100 (ou 10, por post, se não tiverem paciência) nos comentários!

Vamos lá, no Lado A hoje, os meus 10 discos favoritos de Classic Rock!

 

Queen – A Night At The Opera

Um dos primeiros álbuns de Rock que eu ouvi na vida, lá pelo final da década de 90. Descobri então que música boa não se resumia apenas a guitarras distorcidas e berros insandecidos, mas podia caminhar lado a lado com peças de piano e letras mais cotidianas. O “A Night At The Opera” não apenas traz tudo isso como mostra uma banda criativíssima, se desvinculando de qualquer rótulo e lançando um álbum ímpar, onde cada uma das suas músicas entra nos The Best Of’s da vida tranquilamente.

 

Motörhead – Ace Of Spades

E dá-lhe sujeira. Admito sem vergonha nenhuma que o meu primeiro contato com Lemmy & cia foi com o jogo Tony Hawk’s Pro Skater 3 (essa franquia tem uma trilha sensacional, diga-se de passagem), onde “Ace Of Spades” era o tema principal. E convenhamos, a introdução dessa faixa é algo que já nascemos conhecendo por herança genética comum. Porém, basta ouvir esse disco uma vez só que ele consegue pegar o ouvinte de cara, com os clássicos “(We Are) The Road Crew”, “Love Me Like A Reptile” e “The Chase Is Better than The Catch”, uma porradaria Punk sem tempo pra respirar.

 

AC/DC – Back In Black

Fala sério, quem nunca ouviu esse álbum? Dizem que é o álbum de Rock mais vendido de todos os tempos (tenho minhas dúvidas sobre isso) e não é por acaso: o seu tracklist é puramente Rock n’ Roll, na forma mais bruta e simples, um disco que toca inteiro, acaba e a gente nem percebe. Novamente, o riff da faixa título é algo que você já NASCE sabendo. Mas fica uma dúvida, se os fãs mais xaropes não gostam da fase Brian Johnson, por que idolatram esse disco? Por sorte, gosto da discografia inteira, até por achar que os dois são basicamente idênticos: voz de pato bêbado, ideal para o AC/DC.

 

Deep Purple – Fireball

O caso do Deep Purple é uma coisa meio complicada. Eu me divido entre “In Rock”, “Fireball” e “Machine Head” como meus favoritos, até por que é uma das maiores tríades que uma banda já lançou. Mas a minha escolha fica com “Fireball” pelo mesmo motivo que o “A Night At the Opera”, do Queen: foi um dos discos que eu achei fuçando caixas de CD’s do meu pai e que me impactaram de alguma forma, desde a introdução da faixa título (tocada com um pedal de bumbo só), o groove de “Strange Kind Of Woman” e o lado viajante de “Fools”. Em todo caso, ele me ajudou a buscar mais sons clássicos com o tempo.

 

Led Zeppelin – Led Zeppelin IV

Sim, eu cheguei a ter preconceito com o Led Zeppelin até um tempo atrás. Mas fala sério, com um tracklist desses, feito por um quarteto no ápice da sua genialidade, não há contra argumentos!

 

KISS – Love Gun

A maioria dos fãs pirilâmpicos de Kiss dos anos 70 adoram dizer por aí que o “Destroyer” é o melhor disco deles e parará pirirí pororó, mas “Love Gun” é de longe o meu favorito, com músicas que tem um punch a mais, letras ainda mais sacanas, e o mais legal: todos os integrantes cantando em pelo menos uma música. Mais um disco que eu levaria para qualquer festa que fosse.

 

Lynyrd Skynyrd – Pronounced ‘Lĕh’nérd ‘Skin’nérd

Não apenas um dos meus discos favoritos de todos os tempos, mas de uma das minhas bandas favoritas. Um marco no Rock, desenvolvendo o Southern Rock para sempre, o debut do Skynyrd traz clássicos que toda pessoa devia ao menos conhecer: “Tuesday’s Gone”, “Free Bird” e “Simple Man”. O mais legal de tudo isso é que mesmo deposi de 40 anos, tragédias e mais tragédias, o último álbum deles “God & Guns” faz justiça a todo o legado e figura fácil como segundo melhor disco dos caras.

 

Uriah Heep – Return To Fantasy

Mais uma banda que tive preconceito por muito tempo, até descobrir algumas das minhas bandas favoritas (anos atrás) sempre citavam o Uriah Heep como influencia. Porém, foi apenas ao ouvir o “Acoustically Driven” que comecei a dar o devido valor, e descobri que “Return To Fantasy” é um disco variado, com muitas influências, fugindo sempre do óbvio, figurando fácil hoje como um dos meus favoritos e mais agradáveis de se ouvir.

 

Black Sabbath – Sabbath Bloody Sabbath

Acho que explicar por que tem um disco do Black Sabbath aqui seria perda de tempo, certo?

 

Pink Floyd – The Division Bell

Ok, agora umas pessoas mais nervosas vão ficar bravas, vão tocar coisas na minha casa, me xingar e etc etc etc. Mas, é minha opinião. QUando quero ficar tranquilo, só olhando pro nada e ouvindo música, o “The Division Bell” é MUITO mais agradável que qualquer outro disco do Floyd, as melodias são belíssimas e mesmo a voz de Jack Nicholson do Gilmour está melhor do que nunca. Não que “The Wall”, “Dark Side Of the Moon” ou “Wish You Were Here” sejam ruins…. mas esse é infinitamente mais agradável.

Nos próximos dias vou postando o resto da lista, fiquem ligados aqui no site ou no twitter do Progcast

Os TOP 100 álbuns: Lado A Ego Trip

Tracklist

Lineup

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Uma resposta para “Ego Trip – Os TOP 100 álbuns: Lado A – Classic Rock”

  1. Andrew disse:

    Boa! Vou fazer o meu também.

    Classic Rock vale Prog também né?

    Pink Floyd – Dark Side of the Moon

    Genesis – The Lamb Lies Down On Broadway

    The Beatles – Abbey Road

    Led Zeppelin – Led Zeppelin I

    Jethro Tull – Thick as a Brick

    Black Sabbath – Paranoid

    Yes – Close to the Edge

    Kansas – Leftoverture

    King Crimson – In the Court of the Crimson King

    Camel – Mirage

    Está em ordem de porra nenhuma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *