Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

Procura-se produtos oficiais das bandas


Lá estava eu, navegando alguns dias atrás por algumas lojas virtuais brasileiras e gringas especializadas em Rock e Heavy Metal, quando dois pontos insistiam em me incomodar:

1) O mais óbvio: as lojas gringas, além de maior variedade de artistas, álbuns, edições especiais, conseguem  reduzir o valor de seus produtos a níveis inimagináveis no Brasil. Por exemplo, uma edição deluxe contendo 2 DVDs e 1 CD, que a época do seu lançamento custava em torno de US$20,00 sendo vendida por US$2,50, uma diminuição espantosa de quase 90%. E acreditem, não é difícil achar por aí americanos e europeus reclamando de como lançamentos em cds a nove dólares ou onze euros, por exemplo, são caríssimos (enquanto nós, brasileiros, ficamos presos a política taxativa exagerada sobre esse tipo de manufatura –ICMS, PIS, Cofins e IPI constituem aproximadamente 30% do valor de um cd no Brasil – e temos que aceitar pagar de R$25 a R$40 em um lançamento).

2) Um pouco mais além do musical, mas o tópico principal nesse post: a quantidade de merchandising a venda. Nas lojas estrangeiras, temos desde aquelas específicas dentro do site oficial de cada banda, até grandes sites com milhares de produtos OFICIAIS LICENCIADOS especializados em Rock e Heavy Metal, de camisetas simples (mas ainda assim oficiais) até pranchas de skate e quadros. Na nossa realidade brasileira, o que podemos conseguir?

Bem, olhando por cima, para quem gosta de colecionar itens das suas bandas favoritas ou simplesmente adquirir algum produto oficial específico, é praticamente impossível encontrar qualquer coisa. E quando se encontra, os preços são abusivos (muito provavelmente por serem produtos importados, taxados e revendidos – ou seja, três etapas de custeamento níveis exponenciais) e de variedade limitadíssima.

E o que falar então quando você apenas quer uma camiseta de alguma banda um pouco menos conhecida (leia-se “todas menos Iron Maiden, Metallica e Guns n’ Roses”) e não consegue encontrar em lugar nenhum além de lojas que parecem ter usado o pior tipo de impressão existente no mercado para estampar uma imagem em .jpg de 500×500 na camisa? Sim, é bastante frustrante, ainda mais se considerarmos que não são produtos baratos, e jogando em dados reais e convertendo a moeda, são na realidade mais caros que um encontrado nas stores das bandas.

Mas aí vêm as perguntas primordiais para criarmos um debate aqui: é tão caro assim licenciar os produtos de uma banda para outros países? E importá-los? Considerando a época negra de fechamento de mercado semi-ditatorial que estamos passando no cenário brasileiro atualmente é a opção mais arriscada. Mas se fosse algo que desse lucro considerável para as lojas era algo que com certeza fariam. Ou talvez será que então na realidade nós brasileiros não somos engajados o suficiente para pagarmos pelos produtos oficiais e preferimos aceitar a imitação barata (e pirata, que fique bem claro)? Não acho que seja o caso, já que não são poucos os que acabam por importar camisetas e bugigangas de outros países, ou ainda, fazer a limpa nas banquinhas de merchandising quando a banda passa pelo Brasil, quando tem condições de.

(Percebem a diferença de qualidade?)

A grande verdade é que o fã de música não consegue ser bem tratado nesse nosso cenário: preços que não condizem com o produto ofertado, qualidade abaixo do esperado e ser completamente refém de impostos, sejam para os selos que tentam lançar os discos por aqui ou para as lojas/compradores que importam de outros países.

Ah sim, e caso vocês tenham sugestões de boas lojas nacionais, por favor avisem.

Disclaimer: antes que alguém venha me chamar de arrogante, riquinho e me mandar fazer compras apenas nas lojas gringas, saibam que 99,99% do que eu gasto mensalmente com música – o que saibam, não é pouco, já que considero um investimento em qualidade de vida – é em lojas nacionais, mesmo que eventualmente eu tenha de pagar um pouco mais caro do que se fosse importar. Porém, isso vale apenas para os CDs. Em relação a outros tipos de produto é algo que simplesmente não existe no Brasil.

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Uma resposta para “Procura-se produtos oficiais das bandas”

  1. As coisas que eu quero só têm nos sites das bandas e olhe lá, se as tuas bandas são cabulosas de encontrar, as minhas então nem se fala… u.u

    Bem, de tanto sofrer pra encontrar coisas do The 69 Eyes e Vintersorg, eu decidi fazer. HAHAHAHHAHAHAHHAHA

    Se eu achar alguma coisa interessante pelos sites da vida, eu te envio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *