Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

“Deixados Para Trás” 2013 #005


Inter Arma – Sky Burial

interarma-art

Quinteto originário de Richmond, na Virgínia, o Inter Arma vem recebendo considerável destaque no underground americano nos últimos anos, principalmente depois do lançamento do seu disco de estreia, Sundown, de 2010. Três anos depois, agora sob os cuidados da Relapse Records, eles retornam com Sky Burial, dando um passo além no híbrido de sludge, post metal, punk e black metal presente no primeiro álbum. O som apresentado nesse segundo trabalho é muito mais cuidadoso, ligeiramente mais experimental e atmosférico, ainda que a imundice da produção tenha se mantido (isso não é algo negativo, veja bem). Pode não ser a mais agradável das viagens, e ainda assim afoga a sua mente sem dó dentro do conceito musical.

01. The Survival Fires
02. The Long Road Home (Iron Gate)
03. The Long Road Home
04. Destroyer
05. ‘sblood
06. Westward
07. Love Absolute
08. Sky Burial

Mike Paparo – vocal
Steven Russel – guitarra
Trey Dalton – guitarra
Joe Kerkes – baixo
T.J. Childers – bateria / guitarra / sintetizador / lap steel

Nota 4/5

————————————————————————————————————————————

Janus – Under the Shadow of the Moon

Mais uma banda que se perdeu entre as centenas de discos lançados durante a década de 70, o Janus permaneceu na ativa até 1974, dois anos após o lançamento do seu debut Gravedigger. Reformada no final da década de 80, o grupo liderado por Colin Orr vem lançando novos álbuns com certa regularidade, e, que se não recebem a devida atenção, mantém praticamente intacta a proposta da banda, apenas trazendo-a para um contexto atual. Under the Shadow of the Moon é o nono álbum de inéditas e remete diretamente ao espírito do início dos anos 70: faixa título com mais de 20 minutos (uma belíssima jornada, aliás) seguida de canções menores e mais simplistas.

01. Under the Shadow of the Moon
02. Dark Dark
03. How Many Times
04. Promised Land
05. Save America
06. Feeling
07. Maybe I Was The Fool
08. I’m Not Made of Plastic
09. If I’d Listened

Colin Orr – vocal / guitarra / baixo / bateria / teclado
Rikki Hanson-Orr – vocal / clarinete / teclado
Thea Hanson-Orr – saxofone
Dean Houston – saxofone
Ben Staffor – teclado
Rachel Luxon-Robinson – vocal
Pam Hodkinson – vocal

Nota 3,5/5

————————————————————————————————————————————

Jericco – Beautiful In Danger

Ok, é difícil saber como foi que classificaram o som do Jericco como rock progressivo, mas tudo bem. Na realidade, o debut destes australianos soa mais como um pop rock / alternative nos moldes bem americanos, com alguns toques eletrônicos e de música oriental. Ouçam e tirem suas próprias conclusões (estão desafiados a encontrar o “prog” no som deles).

01. Dance Like No One’s Watching
02. Your Favorite Song
03. Cigarettes and Conversations
04. Circles and Squares
05. Monsters
06. Rose Coloured Glass
07. Congratulations
08. Moonlight Highlights
09. The Executioner
10. The Art Of Illusion
11. Beautiful in Danger

Brent Mccormick – vocal
Jordan Nagle – guitarra
Adam Hompas – guitarra
Roy Amar – baixo
Aiden King – bateria

Nota 3/5

————————————————————————————————————————————

Jinetes Negros – Tawa Sarira

Jinetes Negros é outro interessante nome do cenário atual de rock progressivo argentino, com uma notável veia folk/barroca proporcionada pelo tecladista Octavio Stampalia e os agradáveis jogos de (muitas) vozes. Tawa Sarira é o quarto álbum da banda, longos cinco anos depois do elogiado Omniem, e soa como uma banda muito mais madura, sem medo de explorar caminhos diferentes, do sinfônico ao neo prog, criando melodias que se encaixam perfeitamente com as letras em espanhol.

01. Tawa Sarira Intro
02. Juez de los Malos
03. Corazón y Naranjas
04. Canción del Océano
05. Suene Tu Milagro
06. Shawarma
07. Amada Inmortal
08. Luna de India
09. El Eterno Retorno
10. Esas Trampas
11. Las Cuatro Verdades
12. El Velo
13. Purgatorio
14. A los Ojos Bellos
15. Tawa Sarira Outro

Marcelo Ezcurra – vocal / guitarra
Eduardo Penney – guitarra
Alex Yamashiro – baixo
Octavio Stampalia – teclado
Ricardo Penney – bateria

Nota 4/5

————————————————————————————————————————————

Kharmina Buranna – Seres Humanos

Os peruanos do Kharmina Buranna iniciaram as suas atividades em 1996 como uma banda de blues rock, altamente influenciada pelos grandes nomes da década de 60 e 70. Porém, lentamente a referência passou a ser o rock progressivo inglês, culminando no lançamento dos seus discos, El Arte de Seguir Vivos, de 2008, e Seres Humanos, o novo trabalho. Podendo ser classificado como ecletic prog (o blues se mistura de forma natural ao lado mais sinfônico e atmosférico do progressivo por diversos momentos), as longas composições, prioritariamente instrumentais, seguem longos caminhos, sem cair no exibicionismo barato.

01. Pasta Mental
02. Seres Humanos
03. Sublime Muerte
04. 10 y 27
05. Odisea
06. Lenguas de Trapo

Mauricio Hooker – baixo / violão / vocal
Juan Carlos Rodriguez Casanova – guitarra
Daniel Lopez Gutierrez – piano, Hammond / moog / sintetizadores
Victor Otirola – bateria
Diego Sue – baixo / vocal
Luciana Derteano – vocal

Nota 3,5/5

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Uma resposta para ““Deixados Para Trás” 2013 #005”

  1. FabioRT disse:

    Cara
    Que série excelente… obrigado por partilhar o conhecimento com a gente !!
    Vou conferir estas bandas
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *