Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

14 marchinhas progressivas de carnaval


Feriado de carnaval, o que para alguns significa a putaria rotina incessante de música excessivamente alta, consumo desenfreado de álcool, relações humanas descartáveis e tudo mais, também pode ser para outros um momento de parar e dar uma organizada na vida, em um exercício bem interessante que é arrumar a coleção de álbuns e discos, redescobrindo uma série de obras há muito esquecidas.

O tema da lista de hoje é bem simples, e até meio clichê: aproveitando o feriado, uma relação com  catorze músicas (e álbuns) de rock progressivo (ou nem tanto assim) com “carnival” (ou algo do tipo) no título da música.

Amon Düül II – Carnival In Babylon

Um dos maiores nomes do krautrock germânico, o Amon Düül II sofreu severas mudanças nos experimentos sonoros ao longo dos discos, e alguns consideram Carnival In Babylon, o quarto trabalho, de 1972, o primeiro passo. Mesmo com faixas ligeiramente mais curtas, toda a sonoridade ainda se mantinha praticamente intacta.

Atomic Rooster – Carnival

Ok, talvez esse não seja o melhor momento do Atomic Rooster. Afinal de contas, a faixa Carnival vem do seu derradeiro disco de 1983, Headline News, há muito já sem Carl Palmer e Nick Graham, apenas com Vincent Crane e o seu heavy prog orientado pelo frenético órgão Hammond. Em todo caso, é uma faixa interessante e obscura na discografia deles.

Dead Can Dance – The Carnival Is Over

Existem controvérsias se o Dead Can Dance é exatamente uma banda que se encaixe dentro dos rótulos de rock progressivo defendidos pelos fãs mais ortodoxos. Em todo caso, o duo australiano marca presença com a faixa The Carnival Is Over, do disco Into the Labyrinth de 1993. Tirem suas conclusões.

Emerson, Lake & Palmer – Karn Evil 9

Do indiscutível clássico Brain Salad Surgery, sacaram o trocadilho, no nome da música?

Focus – Carnival Fugue

Diretamente do álbum que trouxe ao mundo o hit Sylvia, Focus 3, de 1973, é uma dos momentos mais megalomaníacos da carreira dos holandeses. E a própria faixa Carnival Fugue é uma demonstração disso, passando do instrumental influenciado pelo folk e pela música renascentista e chegando à completa loucura jazz funk desenfreada.

Frogg Cafe – Waterfall Carnival

Interessante banda de jazz fusion prog dos Estados Unidos, a miscelânea instrumental do quinteto praticamente não tem limites ao unir as mais diversas influencias setentistas na sonoridade contemporânea. A faixa Waterfall Carnival tem mais de 20 minutos e encerra o terceiro disco de estúdio dos caras, Creatures, de 2003.

Jade Warrior – Carnival

Uma complexa audição, e ao mesmo tempo intrigante e agradável, os britânicos do Jade Warrior tinham o dom de mesclar de forma ímpar rock psicodélico com passagens atmosféricas e músicas tradicionais dos mais inusitados países. Carnival é a sétima faixa do seu sétimo álbum, Way Of The Sun, de 1978.

E amanhã, na quarta-feira de cinzas, as outras sete músicas dessa lista!

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *