Progcast - Sua Dose Semanal de Rock Progressivo

A Saucerful Of Secrets IV


1983 – The Final Cut

O ápice da tirania de Mr Waters sem dúvida é esse álbum. Depois de comandar o conceito em “The Wall”, dessa vez ele controlou simplesmente TUDO, agravando ainda mais a delicadíssima situação do Floyd como banda. Pra ajudar, Storm Thorgerson não direcionou/Waters não quis que o trabalho tivesse o seu toque, sendo assim, o nosso pequeno Roger resolveu fazer tudo por sua conta, com a ajuda do seu cunhado Willie Christie, que tirou algumas fotos para a arte. Como se trata de um disco sobre a guerra, traumas com o pai do Waters e tal, nada mais evidente do que o reflexo na capa: uma flor (por alguma razão), junto com quatro medalhas da Segunda Guerra Mundial: “1939-1945 Star” (para aqueles que servem por 6 meses – 2 meses no caso de Aeronáutica), “Africa Star” (concedida para quem serviu pelo menos um dia em uma área no Norte da África, entre 10 de junho de 1940 e 12 de maio de 1943), “Defence Medal” (medalha para militares e civis, em determinados postos e tempo de serviço) e “Distinguished Flying Cross” (para quem presta serviço para a Aeronáutica em campo de batalha). Todo o encarte, inlays e back covers do disco trazem diversas fotos mesclando os temas: soldados, a guerra e as flores (ou um campo delas), misturando belas cenas e situações brutais.

 

1987 – A Momentary Lapse Of Reason

Bom, só pra lembrar, depois de Waters ter tomado todo o controle sobre a banda, ele resolve sair (sujeito complicado de lidar esse), deixando o nome pra ser usado por Gilmour, que estava compondo o seu terceiro disco solo na época e resolveu lançá-lo sob o nome da banda, chamando Nick Mason e Richard Wright para o negócio. O trabalho de arte é um dos que melhor reflete o nome do disco, afinal de contas, só mentes doentias como a de Thorgerson poderiam conceber 800 camas de hospital em uma praia em Devon, para refletir a idéia de amizades que se evaporaram e hoje são apenas ecos. Uma curiosidade bizarra, é o primeiro disco desde “Meddle” em que aparecem fotos da banda no encarte (fotos tiradas com esse intuito modelete).

1994 – The Division Bell

O tema central desse disco lida principalmente com problemas de comunicação (mais alfinetadas óbvias no Rogério Águas) e o seu nome foi sugerido por ninguém mais ninguém menos que Douglas Adams (sim, o do Mochileiro das Galáxias!), quando ele sugeriu o título em um jantar, prometendo 5000 libras para a caridade caso o nome fosse escolhido. Coitado, ficou um pouco mais pobre. Enfim, não apenas a capa com os geniais  totens de metal olhando um para a cara do outro, todo o encarte apresenta fotos que representam a idéia da falta de comunicação. Os próprios totens;ilha da páscoa, aliás, são repetidos de formas diferentes por todas as fotos. Existem algumas variações entre as diversas edições do álbum, principalmente entre os packs de vinil e cd. Aliás, esse álbum envolve args, historinhas, internet e trocentos milhões de coisas que discutiremos em breve. Por ora, fiquemos com a arte da capa. Afinal de contas, o buraco é MUITO mais embaixo… e como bem sabemos, os problemas de comunicação ainda não foram resolvidos, ahn?

Rroio

Viking oriental colecionador de discos, músico frustrado e um eterno incansável explorador dos mais obscuros confins do mundo da música.

0 comments
Sort: Newest | Oldest